71 pessoas, quatro kumki e um dardo tranquilizante: o plano para apanhar o elefante que está a perturbar a comunidade de Kerala

2 meses atrás 30

“Nós respeitamos os elefantes aqui em Kerala mas este foi demasiado longe”, começa por dizer ao Guardian Sheeba Geroge, habitante de uma das zonas afetadas por Arikompan, um elefante que tem perturbado a comunidade de Kerala, na Índia. 

As autoridades florestais de Kerala estão a organizar uma emboscada, que vai decorrer este domingo, para capturar o elefante - que, movido pela sua fome, tem aterrorizado há anos este território indiano. No plano estão inseridos 71 veterinários, guardas florestais e trabalhadores de campo.

Arikompan - nome que está ligado ao seu amor por arroz - tornou-se uma ameaça de cada vez que procura por comida nesta comunidade indiana. Depois de os habitantes terem descoberto o lugar onde normalmente o animal descansa, as autoridades decidiram avançar para a captura.

Agora, o plano é fazer uma armadilha no local e retirá-lo da zona onde já matou 10 pessoas - ao pisá-las - e destruiu 60 lojas e residências.

A missão vai ser liderada por Arun Radhakrishnan Sobhana. “Vamos atuar assim que ele chegar à área identificada - em terra plana e não montanhosa isso não funcionaria - e depois alguém da nossa equipa, a cerca de 50 metros, vai atirar-lhe um dardo tranquilizante”, explicou, acrescentando que a equipa não vai utilizar nenhum equipamento de proteção. “A única coisa que pode ajudar, caso algo dê errado, é um bom par de pernas para correr.”

Para pôr em prática o plano vão ser utilizados quatro kumki - elefantes cativos -, habitualmente destacados para este tipo de capturas de elefantes rebeldes. Para esta operação, estes animais vão ter de se deslocar 340 quilómetros desde os seus acampamentos.

“Vamos amarrar as pernas dele”, disse Sobhana. “Um elefante kumki vai puxar pela frente, o segundo vai empurrar pela parte traseira e, de cada lado, um elefante vai basicamente levá-lo para cima da rampa e para o camião”, descreveu.

2023-03-24 15:31 CNN Portugal / MCP

Ler artigo completo