Apple também poderá ter de abrir o iPhone a lojas de apps externas no Japão

3 semanas atrás 63

Apesar de não o pretender, a Apple teve de abrir o iPhone e o iPad às lojas de apps de terceiros na Europa. Esta imposição da União Europeia ganhou força e hoje já está em utilização. Esta mudança radical no ecossistema da Apple poderá não ficar por aqui e o Japão pode ser o próximo mercado a impor esta regra.

Apple Japão lojas apps programadores

Apple também poderá mudar as regras em outros mercados

A introdução das novas regras para o mercado das app, à qual a Apple e a Google estão sujeitas, está já em vigor na União Europeia. Não foi um processo simples, mas que resultou numa abertura do mercado aos programadores, que assim têm regras que entendem ser mais justas.

Tal como se esperava, este movimento que teve lugar na Europa veio abrir a porta a que outros países e regiões ponderassem a sua aplicação. Ao abrir o mercado aos programadores e a mais lojas de apps a competitividade aumenta e os consumidores têm a ganhar com isso.

O próximo país a ponderar a sua adoção parece ser o Japão. Do que foi avançado, a proposta de alteração da lei está já a ser discutida no parlamento, devendo ser aprovada em breve, tornado-se depois efetiva.

Apple Japão lojas apps programadores

Lojas de apps de terceiros no iPhone e iPad

Do que é avançado, um projeto de lei foi apresentado pela equipa do primeiro-ministro Fumio Kishida. Este obrigaria as plataformas dominantes (Apple, Google e outras) a permitir que terceiros lançassem os seus próprios mercados de aplicações e a oferecer mais opções de pagamento.

A ideia base para esta proposta apresentada no Japão é similar à que deu origem à da União Europeia. Quer proibir que os gigantes da tecnologia de darem tratamento preferencial aos seus produtos. O projeto de lei está agora a ser discutido no parlamento e deverá ser aprovado em ambas as câmaras durante a sessão em curso, que termina no próximo mês.

Os programadores japoneses dizem que a concorrência entre lojas de apps irá permitir reter uma maior parte da receita gerada. Além disso, permite oferecer preços mais baixos aos utilizadores.

Ler artigo completo