Casas de luxo: Portugal entra no top-10 de destinos dos investidores internacionais

2 meses atrás 9073

Estudo anual da consultora imobiliária Knight Frank, coloca o país em nono lugar com 3,8% de probabilidades para os clientes internacionais investirem este ano. Só em Lisboa, os preços da habitação de luxo devem subir 2,5%, ficando acima dos aumentos estimados para cidades como Nova Iorque, Paris ou Londres.

Portugal está a tornar-se um hotspot para os investidores internacionais do luxo imobiliário. A conclusão é apresentada pelo ‘The Wealth Report’, estudo anual da consultora Knight Frank, parceira da imobiliária portuguesa Quintela e Penalva, que coloca o nosso país na nona posição com 3,8% de probabilidades para a compra de casas de luxo em 2024 pelos ultra high net worth individual (UHNWI), ou seja, pessoas cujo património líquido é igual ou superior a 30 milhões de dólares.

De acordo com o mesmo estudo, Portugal conta atualmente com 800 investidores de habitação de luxo, sendo que as perspectivas até 2028 são para que os clientes ultra milionários chegue a mil investidores, ou seja um crescimento de 25%. “A acessibilidade económica e a estabilidade de Portugal têm sido fundamentais para ser um mercado atrativo e entre neste top-10. Devido à instabilidade política em vários países, a comunidade de ultra milionários continua focada em encontrar locais que ofereçam maior estabilidade. É o caso de Portugal”, refere em declarações ao Jornal Económico (JE), Alex Koch de Gooreynd, responsável pelos mercados suíço, austríaco e português na Knight Frank.

A tudo isto junta-se a expetativa de que o Banco Central Europeu (BCE) comece a reduzir as taxas no verão, aliada com a recuperação do sector do turismo no país, o que deverá atrair mais proprietários e investidores para a compra de segunda habitação. Um cenário que o estudo da consultora imobiliária antevê que possa levar a um aumento do preço das casas de luxo em Lisboa de 2,5% já em 2024, colocando a capital portuguesa acima de cidades como Nova Iorque (2%), Paris (2%), Londres (1%) e Los Angeles (1%). Em termos mundiais, 22% dos ultra milionários planeiam comprar casa este ano.

Apesar de salientar que os preços estão a crescer nas zonas nobres e mais centrais da cidade de Lisboa, no que toca ao mercado residencial, o responsável da Knight Frank destaca que os mercados de Cascais, Sintra e Estoril deverão registar um crescimento. “As zonas de férias do centro do Algarve e da Comporta também deverão registar um crescimento positivo este ano, bem como o mercado da cidade do Porto, que tem vindo a crescer nos últimos anos”, realça.

Em relação aos valores de transação realizados na compra de casas de luxo, Alex Koch de Gooreynd, explica que variam muito em função da localização e do segmento. “O preço médio do produto transacionado pela Quintela e Penalva no segmento prime é entre dois e três milhões de euros”, refere.

Questionado sobre se Portugal poderá continuar a escalar neste ranking global, Alex Koch de Gooreynd, sublinha que será preciso ver o impacto que a eliminação do regime do Residente Não Habitual (RNH) terá na chegada de novos investidores no segmento dos milionários e dos ultra milionários. “Aguardamos ainda se o novo Governo, que já tomou posse, aprovará outras medidas”, afirma.

O responsável nota ainda que em relação às nacionalidades, os investidores de luxo chegam a Portugal oriundos de várias partes do mundo. Enquanto em regiões como o Algarve continuam a liderar o mercado inglês, irlandês e do norte da Europa, o mercado de Lisboa e Cascais vê aumentar a procura por parte de investidores, americanos e brasileiros. “Temos ainda assistido a uma procura por parte de clientes ingleses de casas de campo ou quintas como alternativa a destinos mais urbanos, nomeadamente no Douro e no Alentejo”, conclui Alex Koch de Gooreynd.

Ler artigo completo