Conceição: «Foi um ano difícil, sem dúvida, pela juventude do plantel»

1 mes atrás 37

O FC Porto pode ficar matematicamente afastado da luta pelo título esta terça-feira, caso o Sporting pontue em Famalicão, no jogo em atraso da 20.ª jornada da Liga. Sérgio Conceição, em jeito de balanço da temporada, diz que a sua equipa foi prejudicada por terceiros, mas também assume que houve «demérito» da sua parte e fala num plantel que, ao longo dos últimos anos, tem vindo a perder «experiência e traquejo».

«Já falei sobre isso. Já disse que houve situações em que fomos infelizes com a terceira equipa e que houve demérito nosso. Na última conferência que fiz, na antevisão ao último jogo, foram exatamente estas as palavras que disse», destacou.

Em relação às arbitragens, o treinador referiu-se concretamente o número de cartões vermelhos mostrados à sua equipa, numa comparação com os adversários diretos

«Há uma estatística de jogo em relação às faltas e aos vermelhos. Somos a equipa que precisa de ter menos faltas para ter vermelhos, é uma relação de 45 faltas para um cartão vermelho e, depois, temos o Sp. Braga, por exemplo, que é a última equipa, que precisa de trezentas e tal faltas para ter um vermelho. O Sporting anda ali perto, o Benfica um bocadinho menos. Do Vitória não vi, mas, em relação às estatísticas, também é importante darem ênfase a outras situações, não só a pimenta que vocês normalmente procuram», atirou.

Quanto ao plantel, o treinador assume que sentiu dificuldades na presente temporada, não pela qualidade dos seus jogadores, mas pela juventude.

«Há sete anos quando vim para aqui, mesmo com alguns jogadores emprestados, era tudo gente com algum traquejo e experiência. Posso lembrar-me de duas dezenas de jogadores que pertenciam a grandíssimas equipas e que tinham experiência de alguns anos de casa no FC Porto», começou por enunciar.

Uma experiência, que, segundo Conceição, o plantel foi perdendo ao longo das últimas temporadas. «Ao longo destes anos fomos perdendo, temos uma equipa jovem, cada vez mais, dentro desse plano de incumbir o que é jogar no FC Porto, de lutar por títulos a cada três quatro dias. Foi um ano difícil, sem dúvida, pela juventude do plantel. Não porque eles não querem, mas pela própria juventude e por aquilo que vocês sabem o que é esta geração mais jovem», destacou ainda.

Ler artigo completo