Covid-19. Se tiver a vacina, pode viajar à vontade para os EUA em novembro

4 semanas atrás 9

20 set, 2021 - 16:44 • Lusa

As restrições às viagens para os Estados Unidos vigoram desde março de 2020, mas têm agora fim à vista.

Veja também:

Os últimos números da pandemia em Portugal e no mundo Todas as notícias sobre a pandemia de Covid-19 Guias e explicadores: as suas dúvidas esclarecidas Boletins Covid-19: gráficos, balanços e outros números

Os Estados Unidos (EUA) anunciaram nesta segunda-feira que, a partir do início de novembro, passam a permitir a entrada de viajantes da União Europeia e do Reino Unido, desde que tenham a vacinação completa.

Os viajantes devem apresentar prova de vacinação e um teste negativo feito três dias antes da viagem, disse Jeff Zients, chefe da equipa de combate contra a pandemia de Covid-19 da Casa Branca, durante uma conferência de imprensa virtual.

Os passageiros que cumpram estes requisitos não ficam obrigados sequer a uma quarentena, informou Zients.

As restrições de viagens, que vigoravam desde março de 2020, estavam a ser criticadas pelos parceiros europeus, onde os níveis de vacinação são superiores aos dos Estados Unidos.

O Governo norte-americano vai ainda exigir às companhias aéreas que colijam informações de contacto de viajantes internacionais, para facilitar o rastreamento de eventuais casos de contágio, explicou Zients.

A Covid-19 já provocou pelo menos 4.689.140 mortes em todo o mundo, entre mais de 228,49 milhões de infeções pelo novo coronavírus (SARS-Cov-2) registados desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

Destaques V+

Ler artigo completo