Crianças pobres recrutadas por grupos armados na Venezuela

1 mes atrás 50

"Nós temos isso documentado desde 2017. Há crianças que são apanhadas por grupos armados basicamente por causa da fome. Eles seduzem-nas dando-lhes pães, bananas e os bens mais básicos que as famílias não podem garantir", disse a coordenadora do OVV, Glória Perdomo, em entrevista à rádio católica Fé e Alegria Notícias.

A investigadora e ativista dos direitos humanos das crianças e prevenção da violência do OVV notou que esta situação acontece "com crianças afetadas pela separação da família e por crises escolares, que são excluídas ou vítimas de abusos e que vivem em situação de pobreza grave, especialmente desde 2016 e 2017".

"As carências das crianças são entendidas e aproveitadas pelos grupos armados. Eles apercebem-se da sua vulnerabilidade e que podem aliciá-las. Oferecem bens, dinheiro. Fazem sentir que são tidas em conta, dão-lhes apoio e reconhecimento", explicou.

Segundo Glória Perdomo, os grupos armados estão também a utilizar "as adolescentes para recrutar outras raparigas para serem exploradas sexualmente sob a suposta promessa de que vão ser modelos ou vão conseguir um bom emprego para ajudar as famílias".

Explicou ainda que há grupos armados também a utilizar as crianças como mensageiros ou vigilantes, para confrontar outros grupos ou cometer crimes mais graves, sob o pretexto de que são menores de idade e que, por conseguinte, não vão ser detidas ou enfrentar a justiça.

"Estão a enganá-las, porque há responsabilidade penal, se houver um julgamento, mas o adolescente deixa-se seduzir por estes grupos", frisou.

A OVV não divulgou o número de casos documentados, nem de crianças recrutadas pelos grupos armados no país.

Ler artigo completo