Cuidado com o preço das apps do Android! A Google aumentou os valores máximos

3 semanas atrás 55

A gestão da Play Store é totalmente feita pela Google e é esta que define os valores que podem ser cobrados neste seu espaço. Ainda que a maioria das apps tenha um custo mínimo, há algumas que disparam para os máximos. Estes valores foram agora recalculados e há novos máximos para os preços das apps no Android.

Android preço apps Google

A I/O deste ano trouxe algumas surpresas, mas outras passaram completamente ao lado da maioria dos utilizadores. Uma delas, descoberta recentemente, veio definir novos máximos para o preços das apps que estão na Play Store do Android.

Os novos valores colocam como máximo para o custo de uma app Android o limite máximo de 940 euros. Este é o valor para Portugal, mas que é diferente em outros mercados, nomeadamente o dos EUA. Aqui, a Google estabeleceu o valor máximo de 999,99 dólares. Isso representa um aumento de 150% relativamente ao limite de preço anterior e reflete a maturidade do ecossistema de apps do Android em 2024.

O valor agora definido não era alterado há muitos anos e estava congelado no tempo. Este limite era originalmente de 200 dólares durante a existência do Google Play, mas foi aumentado para 400 dólares no final de 2015. Agora, quase oito anos e meio depois, o Google aumentou novamente este teto máximo.

Android preço apps Google

Poucas apps premium cobram algo próximo ao valor máximo, mesmo para compras nas apps. Ainda assim, tendo em conta que a opção existe, haverá sem dúvida algumas aplicações que tirarão partido desta mudança. Com tantos utilizadores, não é surpresa que existam pelo menos alguns desenvolvedores interessados ​​em cobrar o máximo pelos seus produtos e alguns utilizadores dispostos a pagar esse valor.

Desde 2015, a Google Play expandiu significativamente o número de regiões nas quais distribui apps. Isso deve-se ao crescimento explosivo que o Android tem visto ao longo dos anos. Existem mais de três mil milhões de dispositivos Android ativos mensalmente, um número impressionante que não inclui apenas smartphones, mas também smartwatches, tablets, TVs e automóveis.

Com esta mudança, nada mudará no ecossistema Android, mas abrem-se as portas para a criação de apps que podem aproveitar ainda mais este ecossistema. Agora podem ver cobrado um valor mais elevado, se estas realmente valores o custo que é pedido.

Ler artigo completo