Depois da tempestade. Polestar planeia expansão para outros mercados

3 semanas atrás 53

Depois de um início do ano atribulado, a Polestar anunciou a expansão para outros mercados já em 2025.

Depois de ter sofrido alguma «turbulência» no início deste ano, a Polestar parece estar a tentar nadar contra corrente e anunciou a sua intenção de se lançar em sete novos mercados já a partir de 2025.

Este anúncio gerou uma boa reação, com as ações da marca premium sueca a subirem 7%. Um comportamento positivo, depois de uma queda de 70% este ano.

O ano de 2023 foi um difícil para a marca sueca, que, em combinação com a guerra de preços que se faz sentir nos principais mercados para os elétricos, não conseguiu fazer frente ao desacelerar da procura destes modelos.

© Polestar Polestar 4

No início de 2024 o construtor anunciou que necessitaria de uma injeção de 1,3 mil milhões de dólares (1,2 mil milhões de euros) para continuar a sua atividade e investir em novos modelos. Conseguiu, em fevereiro deste, ano obter um financiamento de cerca de mil milhões de euros através de 12 bancos e a garantia da Geely, de que se fosse necessário mais investimento, seria disponibilizado.

Os novos mercados

A Polestar anunciou a intenção de se expandir para França, República Checa, Eslováquia, Hungria, Polónia, Tailândia e Brasil já no próximo ano.

Relacionado As «dores de crescimento» da Polestar. Qual vai ser o próximo passo?

A expansão para estes novos mercados poderá proporcionar à marca sueca o volume de vendas que necessita para, por exemplo, negociar melhores acordos com os fornecedores e aumentar a sua rentabilidade por unidade vendida.

Até agora, a marca ainda não revelou os resultados do primeiro trimestre, algo que deverá acontecer no final deste mês. Não obstante, sabe-se que nos primeiros três meses do ano, registou uma queda de 40% nas entregas.

Recentemente lançou o Polestar 4, que se distingue dos seus outros modelos pela ausência de vidro traseiro.

Com esta expansão para novos mercados, a marca espera entregar entre 155 mil e 165 mil unidades em 2025. Um número considerável, tendo em conta que em 2023 vendeu 53 400 unidades.

Startups em dificuldades

A Polestar não é a única startup de veículos elétricos a enfrentar dificuldades em estabelecer-se no mercado, juntando-se a um grupo que conta com marcas como a Rivian, Arrival, Xpeng ou mesmo a Lucid. Recentemente, a Fisker abriu falência, depois de vários meses de episódios sucessivos que levaram este construtor ao fim da linha.

Fonte: Reuters

Sabe esta resposta?
Que outro modelo da Polestar não vai ter vidro traseiro?
Ler artigo completo