O religioso sul-africano, prémio Nobel da Paz pela sua luta contra o apartheid, escolheu ser um lutador pelo futuro do planeta até depois da morte, optando por uma alternativa ecológica à cremação.

1 de Janeiro de 2022, 16:50

Os sul-africanos deram este sábado o seu último adeus, com honras de Estado, ao arcebispo emérito Desmond Tutu. Na missa de corpo presente, celebrada na catedral anglicana de São Jorge, na Cidade do Cabo, o Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, chamou ao líder religioso, falecido no passado domingo, aos 90 anos, “o pai espiritual” da democracia da África do Sul, ao lado do “pai” físico, Nelson Mandela.

Em destaque

Edição impressa

01 de janeiro de 2022

Ver mais

Opinião

Email marketing por

E-goi