Em Setembro, Bia Ferreira leva Igreja Lesbiteriana, Um Chamado a Lisboa, Porto e Seixal

1 mes atrás 34

Fotografia: Direitos Reservados

Publicado a: 03/08/2022

A música como forma de reivindicar direitos.

Fotografia: Direitos Reservados

Publicado a: 03/08/2022

Setembro tem dose tripla de concertos de Bia Ferreira em Portugal. A primeira data está marcada para o dia 4, na Festa do Avante! (Seixal), seguindo-se passagens pelo Mou.Co (dia 5, no Porto) e B.Leza (dia 10, em Lisboa).

Nascida em Minas Gerais, Bia Ferreira é uma cantora, compositora, multi-instrumentista e activista do Brasil, cuja carreira se iniciou em 2009. Autora de temas conotados por assuntos como feminismo, anti-racismo e LGBTfobia, foi apenas em 2019 que exibiu o seu talento em disco pela primeira vez, com a edição de Igreja Lesbiteriana, Um Chamado, trabalho que tivemos a oportunidade de escutar ao vivo na semana passada, num concerto inserido na programação do FMM Sines 2022.

Na reportagem desse espectáculo, Miguel Rocha destacava que “a música de Bia Ferreira, além da sua qualidade enquanto comentário social, consegue-nos relembrar do quão importante é o ideal coletivo e da união do povo para se mandar abaixo estados fascistas que permitem a chacina da população LGBTQIA+ e da população negra sem qualquer dó nem piedade”. Em palco, tudo funciona como “um manifesto político e social, onde a música – ótima, relembre-se – serviu de veículo para as histórias que pretende contar, sejam das suas próprias vivências, seja da história da comunidade LGBTQIA+ e da população negra no seu Brasil.”

Se não a viram no Alentejo, abrem-se agora mais três oportunidade para apanhar a brasileira ao vivo no nosso país, ela que está neste momento a preparar o lançamento de um novo LP, enquanto oferece ao continente europeu uma nova oportunidade de relembrar o seu último Igreja Lesbiteriana, Um Chamado, numa digressão que está a ser levada a cabo no formato de trio, com Priscilla Azevedo (teclas) e Juliana Chaves (bateria e percussão).


pub

Ler artigo completo