Equipa feminina ainda corre pela vaga nos Jogos de 2024 nos Jogos Mundiais de surf

2 meses atrás 20

Na sexta-feira, Guilherme Fonseca e Teresa Bonvalot alcançaram as finais de qualificação das respetivas competições, ficando a um 'heat' das finais das medalhas, enquanto Yolanda Hopkins foi arredada para a repescagem, pelo que terá assimde disputar duas baterias para chegar à finalíssima e tentar conquistar pontos na luta por uma vaga feminina nos Jogos Olímpicos de 2024.

A seleção que pontuar mais nas respetivas categorias, feminina e masculina, conquista vagas para os Jogos de Paris, sendo que, com a eliminação de Guilherme Ribeiro e Frederico Morais, Portugal já não tem hipóteses de conseguir a vaga masculina, mas ainda está na luta com a Austrália para a vaga feminina.

Os dois países têm duas surfistas em prova, tendo Portugal Teresa Bonvalot na final de qualificação, enquanto as australianas Sally Fitzgibbons e Sophie McCulloch acompanham Yolanda Hopkins na ronda 9 das repescagens. No entanto, como a australiana India Robinson foi eliminada depois de Francisca Veselko, os australianos têm uma ligeira vantagem pontual (75 pontos), pelo que Portugal tem de acabar melhor que a Austrália para poder conquistar a primeira vaga feminina em jogo para Paris2024.

No arranque do dia, Guilherme Fonseca venceu a sua bateria das meias-finais de qualificação, com 12.84 pontos, à frente do peruano Lucca Mesinas (10.03) e do norte-americano Kolohe Andino (6.23).

Guilherme Fonseca vai defrontar agora, na final da qualificação, o norte-americano Nat Young, o japonês Kanoa Igarashi e o peruano Lucca Mesinas.

Teresa Bonvalot venceu o seu heat das meias-finais de qualificação, somando 9.16 e batendo a peruana Daniela Rosas (4.23), que também segue para a próxima ronda, mais a australiana Sally Fitzgibbons (2.5) e Yolanda Hopkins (0). Um heat marcado pela interferência de Yolanda num mar quase sem ondas, que foi uma constante do dia em Huntington Beach.

Yolanda voltou à água para a ronda 8 das repescagens e não falhou, vencendo a bateria com facilidade e, mais importante, eliminando a terceira australiana, India Robinson.

Bonvalot vai agora surfar na final de qualificação com a norte-americana Kirra Pinkerton, a francesa Pauline Ado e a peruana Daniella Rosas.

No final, João Aranha, o presidente da FPS e líder de comitiva fez o habitual balanço da jornada que, desta vez, também projetou o dia seguinte:

“Os nossos surfistas ainda em prova estiveram simplesmente brilhantes. Mesmo o erro da Yolanda acabou por ser positivo, pois foi às repescagens eliminar uma australiana. Acabámos este penúltimo dia de Mundial com nota muito alta, mas não é altura de descansar sob os louros, afinal, amanhã (hoje em Lisboa) decide-se tudo e podemos mesmo conquistar uma das vagas olímpicas que almejamos. A meta está próxima e vamos dar o máximo para a alcançar”, resumiu João Aranha, presidente da Federação Portguesa de surf.

Ler artigo completo