Furação Nvidia perde força e pressiona Wall Street em dia de bruxaria tripla

1 mes atrás 42

Em dia de bruxaria tripla, Wall Street encerrou mista. Tanto o Standard & Poor's 500 como o Nasdaq Composite foram pressionados pelas ações da Nvidia, que recuaram pelo segundo dia consecutivo e empurraram o setor das tecnologias para terreno negativo. Já o Dow Jones encerrou na linha d'água, mas a pender para o verde. 

As negociações desta sexta-feira foram marcadas pelo vencimento em simultâneo de três contratos - opções sobre ações e sobre índices de ações e futuros sobre ações -, num fenómeno apelidado de "triple witching" [bruxaria tripla em português], que ocorre quatro vezes ao ano: março, junho, setembro e dezembro. É um fenómeno que traz grande volatilidade ao mercado, especialmente na última hora de negociação.

O S&P 500 recuou 0,16% para 5.464,62 pontos, depois de ter chegado a tocar, pela primeira vez, nos 5.500 pontos durante a sessão de ontem. Já o tecnológico Nasdaq Composite desceu 0,18% para 17.689,36 pontos, enquanto o industrial Dow Jones valorizou 0,04% para 39.150,33 pontos.

A Nvidia prosseguiu em baixa, depois de já ontem ter recuado. A fabricante de chips encontra-se a corrigir do salto que deu na terça-feira, que lhe permitiu obter o título de cotada mais valiosa do mundo - que acabou por perder na sessão de quinta-feira [na quarta-feira as bolsas norte-americanas estiveram encerradas devido a feriado], quando a Microsoft a ultrapassou. A Nvidia encerrou a sessão de hoje a desvalorizar 3,22% para 126,57 dólares.

Já a Microsoft cresceu 0,92% para 449,78 dólares e ficou muito perto de tocar no seu máximo histórico de 450,94 dólares por ação. A empresa tem, agora, uma capitalização de mercado de 3,35 biliões de dólares, ao passo que a da Nvidia caiu para os 3,11 biliões. Já a Apple subiu para o segundo lugar do pódio com 3,18 biliões, apesar de ter fechado a sessão a cair 1,04% para 207,48 dólares.

A sessão também foi marcada pela revelação de novos dados económicos. O índice compósito de gestores de comprasdos Estados Unidos, que acompanha os setores da indústria transformadora e dos serviços, subiu para 54,6 em junho, o nível mais elevado desde abril de 2022. Quando o indicador fica acima de 50 significa que o setor privado está a crescer.

Com isto em mente, a Reserva Federal (Fed) norte-americana, que pretende ver um arrefecimento da economia, pode adotar uma narrativa mais "hawkish" em relação ao alívio da sua política monetária. Mesmo assim, os mercados ainda estão a apostar, em 58%, num corte das taxas de juro em 25 pontos base já em setembro - e esperam ver mais um corte ainda este ano, de acordo com dados da LSEG's FedWatch.

Ler artigo completo