Governo da Geórgia diz que fará tudo para evitar confrontos com a Rússia

1 mes atrás 18

Governo da Geórgia garante que fará tudo para evitar confrontos com a Rússia, já que isso significaria a destruição do país, e manifesta confiança em obter o estatuto de candidato à União Europeia.

epa07664621 (FILE) The President of Georgia's Parliament, Irakli Kobakhidze delivers a speech to the participants of a high-level Interparliamentary Conference, in Chisinau, Moldova, 02 March 2018 (reissued 21 June 2019). According to reports, the speaker of Georgian parliament Irakli Kobakhidze has resigned on 21 June after violent protest at the Parliament last night in which about 240 people were injured. Thousands of protesters, amid widespread public anger, attempted to storm Georgia's Parliament on 20 June evening during a mass rally against a visit and speech inside the chamber by Sergei Gavrilov, member of the Russian lower house of parliament. Tensions escalated when Gavrilov addressed an assembly of MPs from Orthodox Christian countries from the speaker's seat, media reported. Russia and Georgia have not had diplomatic relations since 2008 over the Abkhazia and South Ossetia conflict.  EPA/DUMITRU DORUi

Tbilisi apresentou a candidatura à UE juntamente com a Ucrânia e a Moldova

DUMITRU DORU/EPA

Tbilisi apresentou a candidatura à UE juntamente com a Ucrânia e a Moldova

DUMITRU DORU/EPA

O líder do partido no poder na Geórgia afirmou esta quarta-feira que Tbilisi fará tudo “para evitar o confronto com a Rússia”, mesmo que isso implique atrasar a concessão do estatuto de candidato à adesão à União Europeia ao país.

A questão da guerra e a obtenção do estatuto de candidato estão diretamente relacionadas, como sublinharam os líderes da União Europeia (UE)”, disse Irakli Kobajidze, numa conferência de imprensa.

Segundo o líder do principal partido do país, o Sonho Georgiano – Geórgia Democrática, os líderes da UE declararam abertamente que o estatuto de país candidato foi concedido à Ucrânia devido à invasão russa de que é alvo desde 24 de fevereiro.

“Se nos envolvermos numa guerra com a Rússia, temos como garantida a obtenção do estatuto”, explicou Kobajidze, assegurando ainda assim que o seu Governo “fará todos os possíveis para evitar o confronto com a Rússia”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com o mesmo, uma guerra com Moscovo significaria “a destruição da Geórgia”.

De qualquer forma, o político manifestou estar confiante que a Geórgia conseguirá obter o estatuto de candidato à UE em dezembro deste ano, sendo que para tal o país terá de cumprir um total de 12 condições impostas pelo bloco comunitário.

Tbilisi apresentou a candidatura à UE juntamente com a Ucrânia e a Moldova, após a Rússia lançar a ofensiva contra o vizinho ucraniano.

Depois da Ucrânia e Geórgia, Moldávia também assina pedido formal para se juntar à União Europeia

A 24 de junho, os dirigentes europeus decidiram conceder o estatuto de candidato oficial a Kiev e a Chisinau. Na mesma ocasião, os líderes afirmaram estar “prontos para conceder o estatuto de candidato” a Tbilisi, uma vez feitas as reformas necessárias.

Zelensky descreve decisão da UE como “o ponto de partida da nova história da Europa”

O Governo da Geórgia garantiu que em seis meses irá gradualmente cumprir com todos os requisitos apontados pela UE, que estão relacionados com o reforço da democratização e o fortalecimento da separação de poderes.

No entanto, a oposição não acredita nas intenções do partido no poder e milhares de cidadãos já pediram a demissão da administração atual.

Ler artigo completo