Honda, Nissan e Toyota são as menos preparadas para a transição elétrica, diz estudo

1 mes atrás 18

As fabricantes estão a trabalhar na transição elétrica, como temos acompanhado. No entanto, um novo estudo revelou que a Honda, a Nissan e a Toyota são aquelas que estão menos preparadas para ela.

A investigação foi realizada pela InfluenceMap.

Toyota elétrico

De acordo com um estudo realizado pelo InfluenceMap, três das principais fabricantes japonesas são as menos preparadas para a transição para uma mobilidade elétrica. Afinal, em 2029, 18% da produção global da Honda será de veículos elétricos, da Nissan serão 22% e a Toyota contará com 14% - a quota de mercado detida pelos carros elétricos, no Japão, é, atualmente, de 1%, ficando muito aquém da China e da Europa.

Por sua vez, fabricantes como a Hyundai, a Ford e a Volkswagen garantirão que 27%, 36% e 43% da sua produção, respetivamente, será de carros elétricos.

No caso da Toyota, continua a apostar fortemente em híbridos com motores de combustão, mesmo em mercados altamente desenvolvidos como o Japão e os EUA, apesar do maior potencial de descarbonização do transporte terrestre de veículos elétricos alimentados por energias renováveis.

Disse Ben Youriev, responsável pelo InfluenceMap.

Fabricantes poderão surpreender

Apesar destes dados serem baseados num conjunto de estimativas feitas pela IHS Markit, os planos das empresas podem trocar-lhes as voltas.

Por exemplo, a Honda anunciou que investirá quase 40 mil milhões de dólares durante os próximos 10 anos na eletrificação da sua frota e em software. Portanto, tendo em conta a forma como desenvolverá a sua oferta, 40% da sua produção anual será de elétricos – estando esta percentagem acima da prevista pelo estudo.

Por sua vez, a Nissan quer recuperar a liderança no mercado dos elétricos, pelo que está a investir 18 mil milhões de dólares para acelerar os seus planos de eletrificação. Dessa forma, lançará 23 novos modelos até 2030, sendo que 15 serão puramente elétricos.

No caso da Toyota, a fabricante planeia comercializar 30 modelos elétricos até 2030.

Leia também:

Ler artigo completo