Kiev retira acreditação a embaixador iraniano. Teerão parte para resposta "proporcional"

2 meses atrás 25

A reação do regime dos ayatollahs partiu do porta-voz do Ministério iraniano dos Negócios Estrangeiros. O Irão, afirmou Nasser Kanaani, considera que a Ucrânia deveria “abster-se de ser influenciada por outras partes que procuram destruir as relações entre os dois países”.

Na sexta-feira, as autoridades ucranianas anunciaram a intenção de revogar a acreditação do embaixador iraniano e impor uma redução significativa do pessoal diplomático a trabalhar na representação do Irão em Kiev. Isto por causa da decisão iraniana de fornecer drones às forças russas.O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, classificou mesmo o gesto de Teerão como “uma colaboração com o mal”.

Nas palavras do porta-voz iraniano, a decisão de Kiev teve por base “relatos sem confirmação e resultaram de um frenesim mediático” alegadamente alimentado por entidades externas às relações entre Irão e Ucrânia.

O diário iraniano Kayhan, cuja liderança é nomeada pelo guia supremo do Irão, o ayatollah Ali Khamenei, escreve este sábado que foram já vendidas “centenas de drones armados”. “Há já algum tempo que drones iranianos estão a levar a cabo operações nos céus da Ucrânia contra a NATO”, indica o mesmo jornal, citado pela agência Reuters.

O conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak escreveu também este sábado no Twitter que o Irão está a apoiar a Rússia “ao fornecer drones modernos a um país atrasado para os assassínios de ucranianos”.

Iran has decided to support Russia by giving modern drones to backward country for the murders of Ukrainians. After years of sanctions, isolation, an abominable reputation – Iran’s elite still has not realized how to rise from the bottom of civilization.

— Михайло Подоляк (@Podolyak_M) September 24, 2022 “Sério golpe”
Segundo o comando militar do sul da Ucrânia, terão sido abatidos, na sexta-feira, sobre Odessa e Pivdennyi, pelo menos sete drones, dos quais seis seriam os denominados “kamikazes” Shahed-136.

As forças da Rússia terão também começado a recorrer ao modelo iraniano Mohajer-6, de maiores dimensões.

Para Kiev, o fornecimento de armas à Rússia traduz-se num “sério golpe às relações entre a Ucrânia e o Irão”. Foi desta forma que reagiu o Ministério ucraniano dos Negócios Estrangeiros.

A mensagem do Governo ucraniano foi entregue ao representante diplomático interino do Irão em Kiev, uma vez que o embaixador Manouchehr Moradi se encontra fora do país.

c/ agências

Ler artigo completo