Mais de 70 migrantes morreram em naufrágio na costa da Síria

1 dia atrás 11
Segundo o Ministério dos Transportes da Síria, que falou com alguns dos sobreviventes, o barco partiu da região de Minyeh, no norte do Líbano, na terça-feira, com entre 120 a 150 pessoas a bordo.

Samer Qubrusli, diretor-geral dos portos sírios, avançou esta sexta-feira que estão em curso operações de busca pelos migrantes que continuam desaparecidos. Segundo o responsável, o mar agitado e os ventos fortes têm dificultado os trabalhos de resgate.

O naufrágio acontece numa altura em que um número crescente de libaneses, sírios e palestinianos tentam fugir do Líbano por mar e chegar à Europa.

Segundo as autoridades, alguns dos migrantes que morreram na embarcação eram de Akkar, uma região pobre no extremo norte do Líbano.

“Há muito sofrimento, as pessoas estão em choque. Não entendem por que não há mais informações”, relatou Zeina Khodr, correspondente da publicação Al Jazeera, depois de ter visitado a casa de familiares de uma das vítimas do naufrágio.

Essa família enterrou duas crianças esta sexta-feira, aguardando agora novidades sobre os dois irmãos e a mãe das meninas. O pai está hospitalizado na Síria.

Alguns membros da família explicaram à Al Jazeera que o pai decidiu tentar chegar à Europa apesar dos riscos, procurando escapar à falta de oportunidades e à crise financeira que atingem o Líbano.

“Conversámos com pessoas que sobreviveram ao naufrágio de um outro barco e que nos dizem que vão continuar a tentar fugir uma e outra vez, porque não há empregos”, contou Khodr.

Milhares de famílias libanesas em pobreza extrema

Dezenas de milhares de pessoas no Líbano perderam os empregos em tempos recentes. A libra libanesa caiu mais de 90%, afetando o poder de compra de milhares de famílias que vivem agora em pobreza extrema.

O país tem uma população de seis milhões de pessoas, incluindo um milhão de refugiados sírios, e enfrenta desde o final de 2019 um grave colapso económico que levou mais de três quartos da população à pobreza.

Em abril, um barco que transportava dezenas de libaneses, sírios e palestinianos que tentavam chegar por mar à Itália naufragou a mais de cinco quilómetros do porto de Trípoli, após um confronto com a Marinha libanesa. Dezenas de pessoas morreram nesse incidente.

Na quinta-feira, as autoridades libanesas anunciaram que as forças navais resgataram um outro barco com 55 migrantes a bordo, depois de este ter enfrentado problemas técnicos a 11 quilómetros da costa da região norte de Akkar.

Entre as pessoas resgatadas estavam duas mulheres grávidas e duas crianças.

Ler artigo completo