Marcelo vê recuo no desconfinamento como uma "procura de equilíbrio"

1 mes atrás 12

Veja também:

Os últimos números da pandemia em Portugal e no mundo Todas as notícias sobre a pandemia de Covid-19 Guias e explicadores: as suas dúvidas esclarecidas Boletins Covid-19: gráficos, balanços e outros números

Depois de inicialmente ter dito que, no que dependesse de si, não haveria recuos no desconfinamento, o Presidente da República vê as medidas anunciadas pelo Governo como uma "procura de equilíbrio".

Em Guimarães, Marcelo Rebelo de Sousa reagiu esta quinta-feira às novas restrições aplicadas aos concelhos e disse que "são medidas já esperadas" que, "por um lado que são restritivas, mas menos restritivas do que já foram".

As restrições agora conhecidas também "abrem a porta à flexibilidade para os que já têm a vacinação", destacou o chefe de Estado.

O Conselho de Ministros definiu esta quinta-feira novas medidas para tentar travar o aumento do número de casos de Covid-19, acabando por colocar um travão ao desconfinamento.

Três concelhos - Albufeira, Lisboa e Sesimbra - dão dois passos atrás no desconfinamento e 25 recuam no plano. Outros 19 concelhos estão em risco de recuar no levantamento das medidas de restrição, destacando-se o Porto.

Na Área Metropolitana de Lisboa, mantêm-se as restrições de circulação de viajar de e para a região durante o fim-de-semana, acrescentando-se a necessidade de testagem ou de apresentação de certificado digital para o fazer.

Ler artigo completo