MC Pipokinha a "rainha da p*taria"

11 meses atrás 207

Numa altura em que tanto gostam de falar do respeito pelas mulheres, na misóginia e nos movimentos que defendem o respeito pelas mesmas por esse mundo fora, não deixa de ser estranho que tantos pais, comprem para os seus filhos, bilhetes para espéculos onde esta MC destila frases que se fossem proferidas por um homem dariam muito que falar

É a própria cantora brasileira de funk que se intitula desta forma, usando o título como assinatura dos seus espetáculos e que promete invadir Portugal no Verão, tendo já algumas datas marcadas. Já produzi muitos eventos e respeito quem os produz na procura de encontrar artistas que rentabilizem os investimentos feitos. Não é minha intenção promover qualquer cultura de cancelamento da qual aliás sou extremamente crítico. Acho que cada um deve poder expressar-se da forma que quer, assumindo naturalmente as despesas inerentes às suas próprias escolhas e respetiva repercussão. Mas da mesma forma que o defendo também me permito o direito de explicar o que representam e de criticar certas e determinadas opções, muitas vezes carregadas de incoerência por parte de quem não quer umas coisas mas fecha os olhos a outras que são basicamente as mesmas.

Esta cantora que usa e abusa da pornografia explícita, quer nas letras das suas músicas como nos seus shows (ainda recentemente praticou sexo ao vivo num deles), é neste momento sensação entra os mais jovens, nas redes sociais ou nas playlists que escolhem ouvir. A última música que apresentou num vídeo em que aparece a cantar com uma outra miúda a comer um prato que parece ser de sopa atrás, tem como frase principal “eu disse pên*s na vagin*. Meu c* é marrom, minha xere*a é rosinha”. Quando uma professora de uma escola brasileira se insurgiu contra a atuação da mesma numa festa de uma escola brasileira por não achar a linguagem e os comportamentos adequados, ela respondeu que ganhava mais num dos seus shows do que uma professora ganhava num ano.

Numa altura em que tanto gostam de falar do respeito pelas mulheres, na misóginia e nos movimentos que defendem o respeito pelas mesmas por esse mundo fora, não deixa de ser estranho que tantos pais, comprem para os seus filhos, bilhetes para espétaculos onde esta MC destila frases que se fossem proferidas por um homem dariam muito que falar. Só para dar um exemplo, a mesma diz que o assédio é uma coisa natural, que existe em todo o lado e que as mulheres é que devem saber no que se estão a meter, se não se conseguem defender do mesmo não devem usar roupas decotadas e coisas do género.

Sem querer imiscuir-me nas escolhas que cada um faz para a sua vida ou para os valores que cada um quer transmitir para os seus filhos, sobrinhos, irmãos ou netos, acho que podemos e devemos estar atentos ao que se passa à nossa volta para não nos admirarmos depois de certos comportamentos que vemos em casa ou na rua, por parte dos mais novos. A incoerência do discurso de muitos em relação à prática dos acontecimentos a que vamos assistindo é digna de realce. Cada um vê o que quer e permite o que quiser para os seus, mas depois não se admirem nem se devem mostrar chocados ao verem certas práticas copiadas. Com tanto músico bom no Brasil…

Os comentários estão desactivados.

Ler artigo completo