Novas restrições. Leia aqui na íntegra o comunicado do Conselho de Ministros

1 mes atrás 2

O Governo decidiu, esta quinta-feira, prolongar a situação de calamidade em todo o território nacional até às 23h59 do dia 11 de julho.

Após reunião do Conselho de Ministros, a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou que Lisboa e Albufeira vão juntar-se a Sesimbra, que já se encontrava em risco muito elevado, e vão recuar no desconfinamento, o que implica o encerramento, aos fim de semana, da restauração e similares e do comércio a retalho não alimentar às 15h30 e dos supermercados e retalho alimentar às 19h00.

LEIA AQUI O COMUNICADO NA ÍNTEGRA

"De forma a conter o aumento de incidência que se tem verificado", continua a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana, entre as 15h00 do dia 25 de junho e as 06h00 do dia 28 de junho, sem prejuízo das exceções previstas.

"É ainda admitida a circulação mediante apresentação de comprovativo de realização laboratorial de teste para despiste da infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo ou, alternativamente, mediante apresentação do Certificado Digital Covid da União Europeia", lê-se em comunicado.

Dos trabalhos saiu também a aprovação do "regime excecional de recrutamento de trabalhadores para o Serviço Nacional de Saúde, mediante a celebração de contratos a termo incerto".

Há agora 25 concelhos em risco elevado: Alcochete, Almada, Amadora, Arruda dos Vinhos, Barreiro, Braga, Cascais, Grândola, Lagos, Loulé, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odemira, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Seixal, Setúbal, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira.

Em estado de alerta estão: Alenquer, Avis, Castelo de Vide, Castro Daire, Chamusca, Constância, Faro, Lagoa, Mira, Olhão, Paredes de Coura, Portimão, Porto, Rio Maior, Santarém, São Brás de Alportel, Silves, Sousel, Torres Vedras.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Ler artigo completo