Pavlova na Bimby: Uma Sinfonia de Leveza e Sabor Celestial

4 meses atrás 93

pavlova sobre um prato cor branco com detalhes em azul

No universo da culinária, onde a excelência se entrelaça com a arte, a Pavlova na Bimby emerge como uma composição culinária única, uma dança de texturas e sabores que encanta os sentidos. Originária da tradição australiana, essa sobremesa delicada, feita com a versátil Bimby, transcende o simples ato de cozinhar, transformando-se em uma experiência gustativa celestial.

História:

A história da Pavlova remonta aos anos 1920, quando a bailarina russa Anna Pavlova encantou a Austrália e Nova Zelândia com sua graça e leveza. Em homenagem a essa notável artista, os chefes de pastelaria dessas terras criaram uma sobremesa que refletisse a mesma delicadeza: a Pavlova. No entanto, a integração da Bimby nessa narrativa é um capítulo mais recente, marcando uma revolução na forma como essa iguaria é preparada, elevando-a a novas alturas de sofisticação.

Criação:

A criação da Pavlova na Bimby é uma coreografia precisa de ingredientes – clara de ovo, açúcar, vinagre e mais um toque de magia. A Bimby, com sua capacidade de bater as claras em ponto de neve com precisão milimétrica, simplifica a tarefa, garantindo a leveza característica dessa sobremesa. A criação da base crocante, que se dissolve suavemente na boca, é uma obra-prima da engenharia culinária, onde a Bimby desempenha o papel de maestro, coordenando cada movimento para uma sinfonia perfeita de sabor e textura.

Variações:

A versatilidade da Pavlova na Bimby é um convite à experimentação culinária. Desde a escolha das frutas frescas para decorar até a adição de camadas de creme ou até mesmo um toque de chocolate, as variações são tão vastas quanto a imaginação do chef permite. A Bimby, com suas múltiplas funcionalidades, oferece um campo de possibilidades ilimitadas para personalizar essa sobremesa celestial. Seja uma Pavlova clássica com morangos e kiwi ou uma versão ousada com maracujá e raspas de chocolate, a Bimby é a ferramenta que transforma sonhos gastronômicos em realidade.

Tradições:

A Pavlova, apesar de sua relativa juventude na cena culinária, tornou-se uma tradição em muitas mesas festivas. A Bimby, ao se integrar a essa tradição. Torna-se uma guardiã de métodos autênticos, preservando o equilíbrio perfeito entre crocante e macio que define essa sobremesa. Preparar uma Pavlova na Bimby torna-se um elo com o passado. Uma forma de honrar as tradições gastronômicas e celebrar a harmonia entre inovação e autenticidade.

pavlova sobre um prato cor verde limão

Pavlova na Bimby

Ina

Desperte os sentidos com a Pavlova na Bimby, uma sinfonia de crocância celestial e suavidade única, elevando sua experiência culinária a patamares extraordinários.

Prep Time 16 minutes

Cook Time 1 hour 15 minutes

Total Time 1 hour 31 minutes

Servir como doce, doce de colher, Sobremesa

Culinária Australiana

220 g açúcar4 claras de ovo1 c. chá de açúcar baunilhado1 c. sopa de amido de milho1 c. chá de vinagre400 g natas frescas1 lata de fruta tropical

Antes de começar, pré-aqueça o forno a 150°C.

No copo da Bimby, limpo e seco, adicione o açúcar e pulverize por 15 segundos na velocidade 9.

Reserve essa mistura.

Insira a borboleta na Bimby. Adicione as claras ao copo e bata por 3 minutos na velocidade 4, sem o copo de medida.

Se as claras não estiverem firmes, programe mais 30 segundos à mesma velocidade.

Com a Bimby em funcionamento na velocidade 3, acrescente, pelo bocal da tampa, uma colher de cada vez da mistura de açúcar reservada e baunilha.

Mantendo na velocidade 3, adicione o amido de milho e o vinagre, deixando bater por alguns segundos para uma perfeita integração.

Coloque o preparado numa manga de pasteleiro e, sobre um tabuleiro forrado com papel vegetal, modele um suspiro de 20/25 cm de diâmetro.

Leve ao forno pré-aquecido a 150°C por 15 minutos, reduzindo depois a temperatura para 120°C, prosseguindo por mais 60 minutos.

Desligue o forno e deixe o suspiro arrefecer no seu interior.

Enquanto isso, prepare o chantilly.

Coloque as natas no copo limpo e programe por 2 minutos na velocidade 3,5, atentando para evitar a transformação em manteiga.

O tempo é referencial, podendo o chantilly demandar mais ou menos tempo.

Retire o suspiro do forno e transfira-o para um prato de servir.

Na hora de servir, monte a Pavlova, cobrindo o suspiro com o chantilly e, em seguida, com a fruta escolhida.

Delicie-se imediatamente com esta sobremesa sublime.

Etiquetas arroz doce, bimby, doce de colher, pavlova

Conclusão:

A Pavlova na Bimby é mais do que uma sobremesa; é uma experiência que transcende o paladar. A história, entrelaçada com a graciosidade de Anna Pavlova, ganha uma nova dimensão com a revolução culinária da Bimby. A criação desta sobremesa delicada é uma expressão da habilidade técnica aliada à precisão da modernidade. As variações oferecem um espaço para a criatividade florescer, enquanto as tradições ancoram a Pavlova na riqueza da história culinária. Ao saborear cada pedaço, somos levados a uma jornada sensorial que encapsula o melhor do passado e do presente. Assim, a Pavlova na Bimby não é apenas uma sobremesa; é uma celebração da arte culinária em constante evolução.

Ler artigo completo