Portugal investe 6,3 milhões de euros para impulsionar circularidade dos plásticos

9 meses atrás 263

A cadeia de valor do setor dos plásticos em Portugal uniu-se para desenvolver soluções inovadoras para promover a circularidade deste material, num investimento que totalizou 6,3 milhões de euros e deu origem a 10 produtos, 15 materiais e três tecnologias sustentáveis.

Ao nível da circularidade pelo design de material, foram desenvolvidas novas soluções para embalagens alimentares que incorporam reciclado e são recicláveis no seu fim de vida. Foram também desenvolvidos novos materiais biocompostáveis, alinhados com os ciclos de compostagem industrial, para sacos leves para embalar frutas e legumes, com possibilidade de serem reutilizados no acondicionamento de biorresíduos domésticos.

Na vertente da circularidade pelo design de produto, foram desenvolvidas embalagens de uso alimentar, para o setor das bebidas e dos produtos lácteos, com menores quantidades de material e com incorporação de material reciclado, com características de reutilização e reciclabilidade. Foram também desenvolvidas embalagens para a indústria médico-farmacêutica e componentes para o setor rodoviário e automóvel, baseadas no eco-design e na incorporação de materiais reciclados e recicláveis no seu fim de vida.

Na área da reciclagem, foram desenvolvidas novas tecnologias de pré-tratamento para a redução de contaminantes orgânicos, tintas e odores, permitindo aumentar a qualidade dos plásticos reciclados obtidos por via da reciclagem mecânica, assim como novas soluções de materiais provenientes da reciclagem mecânica e química.

Por fim, no âmbito da circularidade pelas matérias-primas alternativas, foram desenvolvidos novos materiais biodegradáveis, baseados na valorização de resíduos alimentares e da biomassa, assim como a produção de fibra de carbono verde a partir de um precursor natural.

Dada a sua versatilidade, o plástico tornou-se num material omnipresente na economia e na vida quotidiana. No entanto, o setor reconhece a necessidade de repensar a forma como estes são utilizados e geridos.  

"O Projeto Better Plastics surge como uma resposta a este desafio", refere Amaro Reis, presidente da APIP - Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos, acrescentando que "através do desenvolvimento de novos materiais, produtos e tecnologias, estamos a impulsionar a transição do setor dos plásticos para uma economia circular. O setor está comprometido na procura de soluções inovadoras que permitam aproveitar ao máximo os benefícios do plástico, ao mesmo tempo em que minimizamos seu impacto ambiental."

Os resultados desta iniciativa pioneira em Portugal, constituída por 52 membros da cadeia de valor do setor dos plásticos, vão ser apresentados no dia 21 de junho, na Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, em Lisboa.

Ler artigo completo