‘Preciso de ganhar confiança com a moto; a minha pilotagem não é a correta’ – Enea Bastianini

11 meses atrás 193

© Ducati

© Ducati

O GP da Alemanha de MotoGP foi o segundo de Enea Bastianini desde que regressou da complicada lesão no ombro. Em Sachsenring, o italiano da Ducati obteve o oitavo posto, querendo continuar numa trajetória de progresso inclusive antes da pausa de verão.

Questionado sobre se acredita estar na disputa pelas posições de topo após o interregno de verão, o #23 respondeu afirmativamente, embora já em Assen queira chegar ao lote dos cinco primeiros: Espero lutar com estes dois pilotos. Nesta corrida o Jorge [Martín] e o Pecco [Bagnaia] fizeram a diferença comparando com todos os outros pilotos – e também da Ducati, porque neste momento o conjunto da Ducati é muito bom. Mas preciso de ganhar confiança com a moto, porque neste momento o meu estilo de pilotagem não é o correto. Preciso de algum tempo para ganhar essa confiança, preciso de melhorar a moto para o meu estilo de pilotagem e preciso de algum tempo. Antes da paragem quero chegar ao top cinco’.

Bastianini explicou que ainda não é capaz de tirar o proveito ideal do aspeto em que é mais forte, embora sinta que progrediu face a 2022 em Sachsenring: ‘O meu ponto mais forte é sempre a entrada em curva, sou sempre veloz na entrada em curva. Mas agora quando comparo os dados com os dos outros pilotos estou muito perto, não faço a diferença. Durante a corrida, depois de cinco ou seis voltas a traseira não esteve muito boa – especialmente à entrada, não desliza muito bem. E provavelmente também com a potência não trabalhámos muito bem porque no fim com a aceleração máxima a moto não tinha tração. Mas fiz a corrida 20 segundos mais rápida do que no ano passado. Penso que dei um bom passo; no ano passado fui décimo, este ano fui décimo; provavelmente dei um bom passo na pista’.

Siga a sua paixão, em qualquer lugar, a qualquer hora.

Download on the App StoreDownload on the Google Play

Ler artigo completo