Presidente da Duma lembra aos EUA que Rússia podia reivindicar o Alasca. Vice sugere referendo no Estado norte-americano

1 mes atrás 20

Além do alerta para uma possível reivindicação do Alasca por parte de Moscovo, o presidente da Duma satirizou as alegadas interferências russas nas eleições presidenciais norte-americanas.

Alaska Railroad -Trains at Resti

O território do Alasca foi comprado à Rússia pelos Estados Unidos da América em 1867

Getty Images

O território do Alasca foi comprado à Rússia pelos Estados Unidos da América em 1867

Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vyacheslav Volodin, presidente da Duma — a câmara baixa do parlamento russo —, deixou, esta quarta-feira, um aviso: os EUA deviam lembrar-se que o Estado do Alasca já foi russo e que Moscovo podia começar a reclamá-lo.

Que a América recorde sempre: há uma parte do território da Rússia lá, o Alasca” afirmou Vyacheslav Volodin, segundo a publicação pró-russa RBC. “Portanto, quando começarem a tentar dispor dos nossos recursos no exterior, devem lembrar-se que também temos algo a reivindicar.”

O presidente da Duma aproveitou ainda para satirizar as alegadas interferências russas nas presidenciais norte-americanas: “Nós [Moscovo] não interferimos nos seus assuntos internos, e eles [EUA] dizem há décadas que tudo o que lhes acontece, como as eleições dos seus presidentes, é por causa da interferência russa. Não é assim que se respeitam os vossos presidentes. Um deles foi mau, agora o outro caiu de uma bicicleta, e bem, cá estamos novamente.”

Por seu lado, o vice-presidente da Duma, Pyotr Tolstoy, propôs um referendo no Alasca para decidir o destino daquele Estado norte-americano.

O território do Alasca foi comprado à Rússia pelos Estados Unidos da América em março de 1867, por 7,2 milhões dólares (à data). A 18 de outubro desse ano, foi hasteada pela primeira vez a bandeira norte-americana no Estado do Alasca.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ler artigo completo