"Responsáveis". Após debate, João Ferreira critica AD e PS na habitação

1 mes atrás 84

O antigo eurodeputado João Ferreira comentou, esta terça-feira, aquele que foi o quinto debate para as Eleições Legislativas.

"AD e PS são responsáveis pela lei dos despejos; aceitam a subida das taxas de juro; desprezaram o investimento em habitação pública. CDU, no Parlamento Europeu, propôs alterações à regulamentação dos fundos de Coesão e FEDER para acolher investimento em habitação", começou por escrever numa publicação partilhada na rede social X (antigo Twitter).

O comunista apontou ainda o dedo ao cabeça de lista da Aliança Democrática, Sebastião Bugalho, criticando a parte da discussão na qual o candidato 'escolheu' uma das áreas em que gostava de trabalhar no Parlamento Europeu.

No

No "embalo" de sondagem e "lições de moral", habitação fez tremer debate

Decorreu esta terça-feira o quinto debate entre cabeças de lista dos partidos com assento parlamentar para discutir os principais temas da Europa.

Notícias ao Minuto | 20:51 - 21/05/2024

"O jovem ex-comentador-agora-candidato-que-alguns-comentadores-muito-apreciam acabou de mandar às urtigas a Europa 'do Atlântico aos Urais'. Descobriu ele que 'a Europa continental foi invadida por um país externo'. Um prodígio, estudioso, o jovem que gosta de 'assuntos externos'", referiu, citando o que Bugalho disse no debate.

O jovem ex-comentador-agora-candidato-que-alguns-comentadores-muito-apreciam acabou de mandar às urtigas a Europa “do Atlântico aos Urais”. Descobriu ele que “a Europa continental foi invadida por um país externo”. Um prodígio, estudioso, o jovem que gosta de “assuntos externos”.

— João Ferreira (@joao_ferreira33) May 21, 2024

O atualmente vereador da Câmara Municipal de Lisboa dissertou ainda sobre a parte da discussão em que se falou sobre uma eventual expulsão ou suspensão de voto de Estados-membros da União Europeia [UE], e nesse âmbito não foram só os candidatos que foram referidos: "Moderador e candidato Bugalho falam da expulsão de Estados-Membros da União Europeia. Ignoram um e outro que os tratados da UE simplesmente não preveem essa possibilidade. O que não deixa de ser curioso e de dizer muito desta casa onde a ninguém se aponta a porta da rua", escreveu.

Os últimos comentários foram ainda direcionados nesta temática. "O que acontece na UE, a que alguns chamam 'clube de democracias', se um dos membros deixar de ser uma 'democracia'? É expulso? Não. Pode pagar multas, deixar de receber fundos e de votar. Mas continua a fazer parte do clube. Leia-se: do mercado. É que disso a UE não prescinde…", considerou.

O que acontece na UE, a que alguns chamam “clube de democracias”, se um dos membros deixar de ser uma “democracia”? É expulso? Não. Pode pagar multas, deixar de receber fundos e de votar. Mas continua a fazer parte do clube. Leia-se: do mercado. É que disso a UE não prescinde…

— João Ferreira (@joao_ferreira33) May 21, 2024

João Oliveira (CDU), Marta Temido (Partido Socialista), Sebastião Bugalho (Aliança Democrática) e António Tânger Corrêa (Chega) fizeram parte deste quinto debate, e os temas principais foram a habitação, mas as críticas alargaram-se também à presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, que tem 'na mira' um 2.º mandato.

Leia Também: Von der Leyen, alianças e habitação marcam divergências entre AD e PS

Ler artigo completo