São Tomé e Príncipe. Ex-PR Miguel Trovoada espera processo sem conflitualidade

1 dia atrás 9
"Espero que as eleições decorram pacificamente, todo o processo seja conduzido com a maior lisura e não tenhamos casos de conflitualidade que conhecemos, nomeadamente nas últimas eleições legislativas e um pouco também nas eleições presidenciais", disse hoje Miguel Trovoada, após um encontro com o chefe de Estado são-tomense, Carlos Vila Nova, no Palácio do Povo, sede da Presidência, na capital.

O antigo chefe de Estado (1991-2001) adiantou que São Tomé e Príncipe não deve perder "aquela imagem de país de processos democráticos exemplares que tinha conquistado em África".

Miguel Trovoada fez ainda votos que o país, "num quadro de verdadeira estabilidade possa procurar os caminhos do entendimento que leve a criar condições para a promoção do desenvolvimento económico e do progresso económico do povo de São Tomé e Príncipe, na paz e na concórdia".

Sobre a campanha eleitoral, que termina hoje, afirmou: "Campanha é sempre campanha. Nós já temos uma rodagem nesses atos eleitorais. É quase sempre a mesma coisa, são os comícios, as passeatas, é música e alegria. São umas tentativas de provocação. São, enfim, são coisas a que nós já estamos habituados, não é? Estas contradições não são levadas ao extremo como noutros países, e eu espero que continue assim".

O antigo presidente disse ter sido hoje recebido por Carlos Vila Nova porque ainda não tinha estado com ele desde a eleição presidencial, em setembro do ano passado, uma vez que esteve ausente do país durante cerca de dois anos.

"Foi uma oportunidade de saudá-lo, de dizer o quanto eu aprecio esse mandato que ele tem estado a fazer e também que estou disponível para que nós possamos trocar impressões, e dizer que eu tenho muita muita esperança que ele consiga, no exercício da sua magistratura de influência, fazer com que nós possamos ter um clima muito melhor, quer do ponto de vista político quer da evolução da situação socioeconómica", acrescentou.

Sobre o elevado número de observadores eleitorais que vão acompanhar as eleições legislativas e autárquicas e regional do Príncipe no próximo domingo -- incluindo uma missão da União Europeia, pela primeira vez, com 42 elementos -, Miguel Trovoada considerou que a razão é a "curiosidade".

"Querem vir ver bons exemplos de como é que as coisas se passam em São Tomé e Príncipe e transmitir o nosso exemplo a outros países", sustentou.

Miguel Trovoada foi o primeiro Presidente da República de São Tomé e Príncipe após a abertura ao multipartidarismo e é pai de Patrice Trovoada, antigo primeiro-ministro e candidato às legislativas pelo Ação Democrática Independente (ADI, oposição).

Ler artigo completo