Sérgio Conceição espera jogo intenso com o Vitória

1 mes atrás 31

Sérgio Conceição pragmático Lusa

Sérgio Conceição fez esta terça-feira a conferência de imprensa de antevisão ao jogo da 2.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal com o V. Guimarães, partida agendada para amanhã (20h15), no Estádio do Dragão. Os azuis e brancos venceram a 1.ª mão por 1-0 e espera um jogo competitivo.

O treinador do FC Porto começou por responder a uma questão sobre se Pepe e João Mário de volta às opções: "É mais um jogo entre duas equipas que se conhecem bem. Os jogos são todos diferentes, poderá haver uma ou outra mudança, há sempre de um lado e de outro situações que mudam, haverá dentro da estratégia definida nuances para surpreender o adversário... Há esse estudo entre as equipas, é normal entre equipas com qualidade e competitivas".

Os quatro jogadores afastados e a situação de Diogo Costa foram, também comentados: "Diogo Costa não está disponível. Não há questão (sobre os quatro). Gostava que me falassem dos áudios que vieram cá para forma do nosso jogo com o Estoril. Esse tema vem hoje na comunicação social, foi revertido um penálti de forma "excessiva" segundo disseram os responsáveis da arbitragem. O que me espanta é o árbitro estar quase a pedir a bênção do VAR para ser anulado o penálti. Inacreditável. Já não sei quem comanda, se é o arbitro ou o VAR... Há uma estatística interessante no jogo, em relação às faltas, somos a equipa que precisa de ter menos faltas para ter vermelhos. Em relação a estatísticas é importante vocês perceberem e dar ênfase a situações que vocês procuram. Agora tenho de justificar o meu trabalho? Meter cá para forma situações em que não há nada a dizer. Posso decidir que 6 ou 7 jogadores fazem um trabalho específico, em horários diferentes. Não há mais a dizer. Para se jogar no FC Porto não basta ter contrato. Seja para jogar ou trabalhar. Quando for assim, estamos todos de acordo e toda a gente percebe o que eu quero dizer".

Se Sporting pontuar hoje o FC Porto fica afastado do título. Foi só por causa do árbitros? "Já falei nisso, houve situações em que fomos infelizes com a 3.ª equipa, mas também houve demérito nosso".

Duas palavras para dentro e para fora do treinador e de Diogo Costa sobre a tentativa de afastar a região norte do sucesso desportivo - quer esclarecer melhor? "Foi isso. Não quero acrescentar mais nada. Falo do FC Porto, disse o que disse no final do jogo e mantenho. Achei que as declarações do Diogo depois do jogo foram assertivas, cabe-nos trabalhar. Para mim foi uma derrota, um empate, venho com o intuito de trabalhar muito mais introspetivo, muito sério. No FC Porto ganhar é normal, empatar e perder não é normal. Não é só culpa das arbitragens, temos demérito".

Foi o plantel que teve mais dificuldade para rentabilizar. Salvar a época com a Taça? "Uma equipa como o FC Porto tem de lutar por títulos. Amanhã podemos ter uma passagem, mais uma vez, à final da Taça. Em cinco anos fomos quatro vezes à final. Teremos de ser competentes para ultrapassar uma equipa difícil como o Vitória. Não é para salvar nada, é para tentar estar presentes na decisão de um título. Sobre o plantel, no meu primeiro ano era tudo gente com algum traquejo, experiência, com anos de casa. Ao longo dos anos fomo-los perdendo, mas temos uma equipa jovem. Foi um ano dificil, pela juventude do plantel".

Finalmente, Evanilson está castigado, estão reunidas as condições para Taremi ser titular?
"Vamos ver, não digo as equipas na véspera. Amanhã vocês verão, são jogadores que tenho à disposição e depende da estratégia para o jogo".

Ler artigo completo