Wall Street fecha em baixa afetada pelos semicondutores e à espera da inflação

1 mes atrás 24

Os resultados definitivos indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average cedeu 0,18%, o alargado S&P500 recuou 0,42% e o tecnológico Nasdaq baixou 1,19%.

Apesar da assinatura pelo Presidente dos EUA, Joe Biden, de uma lei de apoio com mais de 50 mil milhões de dólares para investimentos no setor dos semicondutores, esta perturbou a sessão depois de vários avisos pessimistas sobre a procura imediata de componentes eletrónicos.

A Micron Technology preveniu que o volume de negócios trimestral poderia ser inferior às previsões e fechou em baixa de 3,74%.

Na véspera, tinha sido a Nvidia, outro fabricante de semicondutores especializado em cartas gráficas, a avisar que o seu segundo trimestre ia sofrer com "uma diminuição significativa dos videojogos". Hoje perdeu 3,97%.

Estes dois anúncios arrastaram todo o setor, da AMD (recuo de 4,53%) à Qualcomm (baixa de 3,59%), passando pela Intel (desvalorização de 2,43%) e mesmo pela Amazon (queda de 1,13%), um grande nome da `nuvem`, a informática desmaterializada, e grande consumidor de microprocessadores.

"A lei sobre os `chips`, que se sabia que ia ser assinada pelo Presidente Biden já estava integrada pelos investidores", disse Tom Cahill, da Ventura Wealth Management, à AFP. "Foram os avisos da Micron e da Nvidia que contaram", sintetizou.

"Parece que o setor da tecnologia, bem como o resto da economia, estão a arrefecer", indicou o analista, recordando que, durante a pandemia, a procura pelos equipamentos tecnológicos tinha largamente aumentado com o teletrabalho, tendência que se está a desvanecer.

Um outro ator relevante dos videojogos, o editor norte-americano Take-Two Interactive, que no início do ano comprou a Zynga, uma empresa que desenvolve jogos para telemóveis, caiu 3,8% depois de ter anunciado resultados bem abaixo das previsões no seu primeiro trimestre.

Segundo o gabinete de análises Games Market Dynamics, as despesas dos consumidores em videojogos no segundo trimestre de 2022 caíram 12%, em relação às de há um ano.

A ansiedade dos investidores antes da publicação dos números da inflação -- o índice de preços no consumidor (IPC) na quarta-feira e na produção na quinta-feira -, a que se segue o índice de confiança dos consumidores na sexta-feira, travou o dinamismo bolsista das últimas semanas.

Depois dos mínimos de junho, "o Nasdaq recuperou mais de 20% e o S&P500 cerca de 15%", recordou Tom Cahill. "Penso que hoje era a ocasião de se posicionar e de realizar ganhos antes dos números da inflação", acrescentou.

O mesmo tom foi expresso pelos analistas do Wells Fargo, que observaram "a prudência entre os investidores, na expectativa do índice dos preços que pode bem determinar a política monetária da Reserva Federal".

O título do fabricante de uma vacina contra o novo coronavírus, o Novavax, cotado no Nasdaq, afundou 29,64%, depois de anunciar perspetivas de faturação fortemente reduzidas para 2022, devido a uma procura dececionante da sua vacina.

Ler artigo completo