WOOL leva Ana Lua Caiano, Silly e Fred a fazer residências artísticas na Covilhã

1 mes atrás 154

Fotografia: Direitos Reservados

Publicado a: 23/05/2024

O evento que se dedica à arte urbana acontece entre 6 e 16 de Junho.

Fotografia: Direitos Reservados

Publicado a: 23/05/2024

O festival WOOL, que este ano acontece entre 6 e 16 de Junho na Covilhã, volta a contar com uma programação paralela de música e conversas a par de toda a arte urbana que se promete espalhar pela cidade. Haverá duas residências artísticas que irão resultar em concertos: Ana Lua Caiano vai juntar-se às Adufeiras da Casa do Povo do Paul, enquanto Silly e Fred reúnem-se depois de produzirem e comporem juntos o álbum Miguela para mais um momento musical a meias. 

São estas as duplas desafiadas a trabalhar neste e sobre este território durante 10 dias. O resultado da residência de Ana Lua Caiano com as Adufeiras da Casa do Povo do Paul será apresentado a 14 de Junho nas traseiras do edifício da Câmara Municipal da Covilhã; enquanto a partilha musical entre Silly e Fred dá-se a conhecer no dia seguinte no Largo Senhora do Rosário.

Além disso, durante o WOOL haverá três mini-concertos assim os descreve a organização feitos por Jesuíno, Robin Tolle e Saturarion Divers, junto de três locais onde estarão a ser pintados murais, cruzando música e artes visuais urbanas no mesmo espaço e tempo. A programação inclui ainda um DJ set de X-Acto, um concerto de Margarida Geraldes & Renato Folgado e uma jam session by Cisma, uma associação cultural que vai colocar instrumentos na rua para todos aqueles que se quiserem juntar a este momento espontâneo de criação musical.

O WOOL leva este ano à Covilhã a arte de Millo (Itália), SpY (Espanha), Isaac Cordal (Espanha), Mura (Brasil), MOTS (Polónia/Portugal) e Daniela Guerreiro (Portugal). No dia 14 haverá ainda uma conferência internacional composta por uma série de conversas, de forma a estimular o pensamento sobre os temas que dizem respeito ao festival, cujo programa será divulgado em breve. Sabe-se, por enquanto, que irá contar com um momento de poesia dita a cargo de Alice Neto de Sousa. As Conversas com Artistas também estão de volta, e o grande nome deste ano é a histórica fotógrafa Martha Cooper, que registou o início do graffiti e da cultura hip hop em Nova Iorque através das suas imagens que se tornaram icónicas.

É possível saber mais informações e ter acesso à programação completa através deste link.


pub

Ler artigo completo