ANTEVISÃO | Hora de ganhar

3 semanas atrás 42

Numa fase final de Europeu há muito pouca margem para errar. E estas duas equipas, tal como todas as outras, sabem isso muito bem. Pois bem, é hora de ganhar. De começar a ganhar. Para as duas seleções. Até porque quem não ganhar... arrisca-se a ficar fora.

É certo que estamos na segunda jornada, mas para Eslovénia e Sérvia - mais para a segunda que para a primeira - este jogo é fundamental nas aspirações de seguir em frente. A Eslovénia, apesar de vir de um empate inaugural com a Dinamarca, sabe que joga com Inglaterra na última ronda; a Sérvia, por seu lado, já despachou a Inglaterra, perdendo o primeiro jogo, e se perder este... complica (e muito) as contas.

Este primeiro jogo de quinta-feira ganha, assim, contornos de final na luta pelo apuramento no competitivo Grupo C. As duas seleções fazem parte do pelotão de boas equipas europeias e prometem um belo espetáculo na Allianz Arena, estádio de Munique que recebe o primeiro jogo da segunda jornada do grupo.

Falta perceber o que há a retirar dos primeiros jogos dos dois conjuntos. A Eslovénia vem com um ponto dessa partida, onde deu bastante réplica a uma das mais complicadas seleções europeias, a Dinamarca. Bem compacta num clássico, 4-4-2, viu-se a perder bem cedo, mas conseguiu reagir com as suas saídas rápidas e com os seus homens da frente, apesar de alguma falta de eficácia (Sporar em evidência neste campo), a corresponderem da melhor forma e a conseguirem um empate que lhes assenta bastante bem.

Já a Sérvia... foi Sérvia. Contra Inglaterra, a equipa dos Balcãs realizou um jogo muito forte ao nível físico, conseguindo anular as perigosas individualidades inglesas. Perdeu, é certo, mas a margem mínima mostra que esta equipa sérvia quer acabar com a malapata e seguir em frente. Parece ter, até, respeitado em demasiada o nome de Inglaterra e, se não o tivesse feito podia ter feito um brilharete.

Mas esta Sérvia também soube ser Sérvia por outros motivos. Aqueles que são típicos de uma seleção em constante ebulição. Depois da derrota, o capitão Tadic, entrado à hora de jogo, insurgiu-se contra o selecionador por não ter sido titular e disse mesmo que era o «melhor jogador» da equipa. Equipa essa que não vai poder contar com o lesionado Kostic até ao final do Euro...

Ler artigo completo