CN Motocross 2024 – Arranque quente no Granho e Luís Outeiro é o primeiro líder

1 mes atrás 57

motocross

Depois de muitos adiamentos e “falsas partidas”, o Campeonato Nacional de Motocross (CNMX) deu início à sua temporada 2024 com a realização da primeira ronda do ano, disputada no passado domingo no Crossódromo do Granho, em pleno Ribatejo.

Este campeonato sob a égide da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) voltou a animar e muito os fãs da modalidade, que fizeram questão de se deslocar ao Granho para assistir a provas disputadas e a um grande espetáculo de MX.

Foi então num dia de muito calor, com temperaturas a rondar os 30 graus, o que mais fazia acreditar que estávamos em pleno verão, que o CNMX proporcionou muita ação em pista para um dia repleto de corridas.

Foram duas mangas para cada uma das categorias, com 88 pilotos distribuídos por MX1 (com Veteranos), MX2 (com MX125 Júnior), MX65 e MX85, sendo que estas duas últimas classes disputavam já as suas segundas jornadas da época. Luís Outeiro (MX1), Sandro Lobo (MX2), Rafael Leonardo (MX85), Francisco Fernandes (MX65), Tomás Santos (MX125 Júnior) e Micael Luís (Veteranos) foram os vencedores do dia.

Ainda da parte da manhã, após os treinos e corridas de qualificação (uma novidade este ano, apenas para as classes seniores), foram os mais novos a abrir o programa de corridas e com uma grande exibição dos mais pequenos talentos do motocross nacional das MX65.

motocrossFrancisco Fernandes

Depois de terem dividido os triunfos na primeira ronda do campeonato, na Carvoeira, Francisco Fernandes e Guilherme Gomes (ambos alinhando com as Yamaha da Motos VR) foram novamente os grandes animadores da classe.

Na primeira manga, ‘Gui’ Gomes arrancou melhor para comandar nas primeiras voltas, mas Francisco Fernandes começou a pressionar o líder e passou para o comando à quarta volta, ampliando a vantagem para vencer de forma categórica.

À tarde, este seria também o ‘filme’ da segunda manga, novamente com Guilherme Gomes a sair na frente e a liderar a primeira metade da corrida, mas Francisco ‘Xico Patife’ Fernandes (filho do antigo campeão de Supermoto, Cristiano Fernandes) voltou a impor-se na segunda metade e venceu sem contestação. Santiago Pereira (Yamaha) foi o terceiro à geral, após ter somado um 3º e um 4º postos nas duas mangas, com Martim Agostinho a ser terceiro na segunda corrida após uma manga inaugural para esquecer.

motocrossRafael Leonardo

Nas MX85, que tinham tido a sua primeira prova uma semana antes em Aveiras de Baixo, foi uma vez mais Rafael Leonardo (GasGas) a vencer ambas as mangas, reforçando a sua série invicta esta época.

O piloto da Quaresma Racing Team ganhou sempre sem oposição, liderando todas as voltas, enquanto o seu companheiro de equipa e campeão em título de MX65, que aqui se estreia nesta classe, Duarte Pinto (GasGas), foi segundo nas duas mangas, na primeira após ter batido Robi Tikkanen (GasGas) na sequência de uma boa luta, e na segunda manga depois de duelo com Gustavo Pitschieller (KTM), em ambos os casos relegando os seus rivais para o lugar mais baixo do pódio – que, em termos de classificação geral, pertenceu a Tikkanen.

Sandro Lobo

A primeira das classes seniores de motocross a entrar em cena foi a de MX2, que integra também as MX125 Júnior.

Também aqui houve um claríssimo domínio de um piloto, Sandro Lobo (Yamaha / Motos VR), que se impôs em todas as voltas de todas as corridas, incluindo a manga de qualificação, para se afirmar desde já como favorito ao título, nesta época em que se estreia com uma ‘dois e meio’ 4T, depois de ter alinhado em 125 Júnior no ano passado, classe que liderava até ter interrompido a sua época por lesão.

Em segundo lugar ficou sempre Martim Espinho (GasGas) o único que, na fase inicial da primeira manga, ainda deu alguma réplica a Sandro Lobo, enquanto Pedro Rino (KTM) foi terceiro da geral, após ter somando um 4º e um 3º postos, seguido de Abel Carreiro (3º/6º) e Alex Almeida (7º/5º), ambos em Husqvarna. Tomás Santos (GasGas) venceu em 125 Júnior.

Finalmente, para as corridas de MX1 (onde corriam também os Veteranos), o favoritismo recaía naturalmente sobre Paulo Alberto (Yamaha).

O campeão nacional em título de Motocross e Supercross, que vinha de mais uma coroa conquistada no Brasil, começou por confirmar este favoritismo na manga de qualificação e reforçou-o na 1ª manga, que venceu à frente de Luís Outeiro (Yamaha) e do estreante na classe Afonso Gomes (Yamaha).

Luís Outeiro

Na 2ª manga tudo indicava que se iria repetir o escalonamento e, de facto, foi Paulo Alberto a cortar a meta na frente.

Porém, uma penalização imposta após este ter efetuado um salto enquanto se agitavam bandeiras amarelas fê-lo perder duas posições, sendo remetido ao lugar mais baixo do pódio, com a vitória a ser entregue então a Luís Outeiro, seguido de Afonso Gomes.

Luís Outeiro venceria assim à geral esta primeira prova do Campeonato Nacional de Motocross, mas os pontos da manga de qualificação ajudaram a que Paulo Alberto saia do Granho com apenas um ponto de atraso face ao seu rival.

Entre os Veteranos, Micael Luís (KTM) foi sempre o mais forte.

O Campeonato Nacional de Motocross prossegue no fim de semana de 11 e 12 de maio em Casais de São Quintino, uma das provas que habitualmente atrai milhares de fãs desta modalidade, e que este ano acabou por não se realizar na altura habitual da Páscoa.

Fique atento a www.motojornal.pt para estar sempre a par de todas as novidades do mundo do desporto em duas rodas. A não perder!

Ler artigo completo