Homem que violou e matou idosa com Alzheimer em 1985 condenado a perpétua

2 meses atrás 55

Em 1985, uma idosa vítima da doença de Alzheimer saiu de casa sozinha e acabou por entrar no carro de um estranho, em Lake Worth Beach, Florida, nos EUA. O homem abusou sexualmente da idosa, agrediu-a e abandonou-a numa estrada, onde esta acabaria por morrer.

A identidade do homicida de Mildred Matheny manteve-se um mistério durante décadas, escreve a Fox News.

A única pista era um teste vaginal com material genético, mas que durante anos foi considerado demasiado degradado para conseguir identificar o violador.

Contudo, este ano, um júri decidiu que uma correspondência parcial de ADN era suficiente para condenar um homem. Tratava-se de Richard Lange, que tinha 25 anos na altura do ataque.

Em tribunal, embora os cientistas e outros que testemunharam no julgamento não pudessem dizer com 100% de certeza que o ADN provinha de Lange, disseram que é 27 quatriliões de vezes mais provável que tenha vindo dele do que de outro indivíduo desconhecido e não relacionado.

O suspeito, hoje com 63 anos, foi condenado a prisão perpétua.

A sua defesa já fez saber que vai recorrer da sentença alegando que o homem que cometeu o crime não é o mesmo que hoje se sentou na cadeira dos réus. 

Richard é descrito como um carinhoso pai, irmão, filho e tio que "viveu uma vida de virtudes" de acordo com a sua fé cristã.

Leia Também: Violência doméstica. Tribunal de Leiria condena homem a 8 anos de prisão

Todas as Notícias. Ao Minuto.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Ler artigo completo