Portugal: tráfego de Internet móvel aumentou 34,2%

1 mes atrás 68

Com a existência de cada vez mais dispositivos móveis e planos de internet mais acessíveis, é natural que o tráfego de Internet móvel. Em Portugal, tráfego de dados móveis aumentou 34,2% face ao trimestre homólogo.

 tráfego de Internet móvel aumentou 34,2%

No final do 1.º trimestre de 2024, a taxa de penetração do serviço móvel ascendeu a 178 por 100 habitantes. Caso se considerem apenas os acessos móveis com utilização efetiva (excluindo M2M), a taxa de penetração em Portugal seria de 129,3. Adicionalmente, caso se excluam também os acessos afetos exclusivamente a serviços de dados e acesso à Internet (cartões associados a PC/tablet/pen/router), a taxa de penetração seria de 121,5 por 100 habitantes.

O número de acessos móveis habilitados a utilizar serviços móveis totalizou 18,6 milhões. Destes, 13,6 milhões (77,7% do total) foram efetivamente utilizados.

O número de assinantes que efetivamente utilizou o serviço aumentou 75 mil (+0,6%), em comparação com o final do 1.º trimestre de 2023.

Quanto à utilização dos serviços móveis, 20,8% dos utilizadores de serviços móveis apenas acedeu aos serviços de voz, enquanto 73,2% acedeu aos serviços de voz e Internet. Cerca de 6% dos utilizadores acedeu apenas à Internet, utilizando os acessos através de PC/pen/tablet/router.

No final do 1.º trimestre de 2024, 59,1% dos acessos móveis utilizavam a tecnologia 4G, enquanto 21,9% utilizavam a rede 2G+3G e 19% utilizavam a rede 5G (+10,4 p.p. face ao 1.º trimestre de 2023).

Neste trimestre, existiam cerca de 3,5 milhões números móveis portados.

O tráfego de voz móvel, em minutos, diminuiu 2,6% face ao 1.º trimestre de 2023. O número de minutos de conversação por acesso de voz móvel foi, em média, de 212 por mês, o que representa aproximadamente 7 minutos por dia. A duração média das chamadas foi de 2 minutos e 58 segundos por chamada, menos dois segundos (-1,4%) que no 1.º trimestre de 2023.

O tráfego de acesso à Internet em banda larga móvel (BLM) aumentou 34,2% face ao trimestre homólogo.

O tráfego médio mensal por utilizador ativo de Internet móvel aumentou 25,3% face ao período homólogo. Cada utilizador de BLM consumiu, em média, 11,0 GB por mês. O tráfego médio mensal gerado por PC/tablet/pen/router atingiu os 32,1 GB (+7,1%).

No final do 1.º trimestre de 2024, contabilizaram-se cerca de 1,2 milhões de acessos móveis ativos afetos a M2M (numeração 9x), uma diminuição de 19,4% em relação ao período homólogo. Estes acessos representavam 6,5% do total de acessos ativos.

O tráfego em roaming out registou um aumento no tráfego de voz face ao 1.º trimestre de 2023 (5,5%). Em sentido contrário, o tráfego de voz em roaming in registou um decréscimo de 4,2% face ao trimestre homólogo. O tráfego de Internet cresceu de forma elevada (+27,2% no caso do roaming in e +36,6% no caso do roaming out).

MEO é o principal prestador de internet móvel

No que respeita às quotas dos prestadores, a MEO continua a ser o principal prestador com 37,7% dos acessos móveis ativos com utilização efetiva (excluindo M2M), seguida da NOS (30,1%) e a Vodafone (28,2%).

Seguem-se a NOWO e a Lycamobile, ambas com quotas de 2,0%. Face ao período homólogo, as quotas de acessos móveis da NOS e Lycamobile aumentaram em 0,8 p.p. e 0,5 p.p., respetivamente, tendo as quotas da MEO e da Vodafone diminuído 0,9 p.p. e 0,5 p.p., respetivamente. A quota da NOWO permaneceu inalterada.

No caso das quotas de subscritores de acesso à Internet em banda móvel, a quota da MEO foi de 35,3%, seguindo-se a NOS (32,3%), a Vodafone (28,0%), a Lycamobile (2,3%) e a Nowo (2,2%). Em comparação com o 1.º trimestre de 2023, a quota da Lycamobile aumentou 1,4 p.p. enquanto as quotas da Vodafone, da MEO e da NOS diminuíram 0,4 p.p. e a quota da NOWO diminuiu 0,1 p.p.

A NOS deteve a quota mais elevada de tráfego de Internet em banda larga móvel (35,9%), seguindo-se a Vodafone (34,8%) a MEO, a NOWO e a Lycamobile e (28,4%, 0,6% e 0,3%, respetivamente). Em comparação com ano anterior, a quota da MEO aumentou 0,6 p.p. enquanto a quota da NOS e a Vodafone diminuíram 0,4 p.p. e 0,2 p.p., respetivamente.

Na sequência do leilão 5G, a ANACOM emitiu no final de 2021 os títulos que consubstanciam os direitos de utilização de frequência (DUF) a seis operadores: Dense Air, Dixarobil (Digi Portugal), MEO, NOS, NOWO e Vodafone.

No final do 1.º trimestre de 2024, 19% dos utilizadores de serviços móveis e 23,9% dos utilizadores de Internet móvel utilizaram a rede móvel 5G. O número de utilizadores de Internet móvel através de 5G totalizou 2,6 milhões, dos quais, 2,5 milhões com acesso através do telemóvel.

A taxa de penetração de acessos à Internet móvel através de 5G atingiu os 24,4 por 100 habitantes.

Estima-se que, no 1.º trimestre de 2024, o tráfego cursado em redes 5G representou cerca de 14% do total de tráfego de dados móveis, atingindo os 6,5 GB mensais por utilizador de Internet móvel 5G.

Ler artigo completo