Margem financeira dos bancos cresce quatro vezes mais rápido do que caiu na última crise

1 mes atrás 20

Em 2012, quando os juros registaram uma queda acentuada, a margem financeira dos maiores bancos privados recuava perto de 14%. Agora, num cenário de subida de taxas, o mesmo indicador cresceu 56% em 2023.

Os cinco maiores bancos privados registaram lucros significativos no conjunto de 2023. Para isso contribuiu a margem financeira, que cresceu quatro vezes mais rápido do que caiu na última crise, escreve o jornal “Público” esta segunda-feira.

Entre o BCP, Santander Portugal, BPI, Novobanco e Banco Montepio, a margem financeira totalizou 6.816 milhões de euros, o que representa uma subida de 56% face a 2022. Já em 2012, período marcado por uma queda acentuada dos juros, a margem recuava perto de 14%.

Os maiores crescimentos da margem financeira observam-se no Santander Portugal e no Novobanco, aumentando 91% e 82%, respetivamente. A subida foi de quase 70% no BPI, de 31% no BCP e de 60% no Banco Montepio.

Ler artigo completo