MB Way agora também é eco. Já pode activar os talões digitais

1 mes atrás 47

O MB Way conta agora com uma opção “eco”, que permite aos utilizadores optarem por receber o comprovativo do pagamento em formato digital ao invés dos tradicionais recibos impressos pelo Terminal de Pagamento Automático.

O objectivo da SIBS ao lançar esta novidade é não só promover a sustentabilidade ambiental, mas também simplificar e tornar mais eficiente e digital o processo de pagamento para utilizadores e comerciantes.

É possível activar esta opção nas Definições da aplicação em “Preferências eco”, bem como permitir a partilha do Número de Identificação Fiscal (NIF) e/ou endereço de e-mail com os comerciantes para efeitos de facturação.

Esta partilha será efectuada de forma controlada pelos utilizadores, reforçando a privacidade e a protecção dos dados. Os utilizadores do MB WAY poderão ainda consultar os detalhes das suas compras dos últimos três meses e enviar os talões digitais para o respectivo e-mail a qualquer momento.

Numa priemira fase, os talões digitais e a partilha do NIF/email para facturação estarão disponíveis para pagamentos realizados com MB Way QR Code, nos equipamentos com o símbolo MB WAY eco, com esta opção activa por parte dos comerciantes.

Os utilizadores MB Way poderão ainda acompanhar o seu contributo e o impacto desta iniciativa na redução do desperdício de papel através de um contador de redução de emissão de CO2 brevemente disponível no site MB Way.

«O MB Way eco representa mais um passo significativo na missão da SIBS de se afirmar como um parceiro que cria valor através do desenvolvimento tecnológico com impacto, contribuindo de forma activa para uma sociedade social e ambientalmente mais sustentável», afirma, em comunicado, Luís Gonçalves, director de Segmentação e Gestão de Mercados da SIBS. «Ao disponibilizar aos utilizadores a possibilidade de optarem por talões digitais, estamos não só a simplificar a vida dos consumidores e comerciantes, como também a contribuir activamente para um ambiente mais verde.»



Ler artigo completo