Toyota aposta na Europa. Primeiros detalhes da nova fábrica de hidrogénio

2 meses atrás 32

Nova geração de pilha de combustível (fuel cell) vai chegar ao mercado em 2026. Nova fábrica de hidrogénio vai acelerar o processo.

A Toyota tem um objetivo definido: ser neutra em carbono na Europa até 2040 — uma década antes da meta definida pela União Europeia (UE).

Para alcançar esta meta não contará apenas com os carros elétricos a bateria, mas também com outras tecnologias, nomeadamente o hidrogénio. Não falamos do hidrogénio enquanto tecnologia alternativa para alimentar os motores de combustão — solução que a marca japonesa continua a desenvolver como já mostrámos em vários artigos.

Falamos de uma «Fábrica de Hidrogénio», ou se preferirem de uma Hydrogen Factory, o nome escolhido pela Toyota para uma nova unidade de produção na Europa totalmente dedicada à tecnologia Fuel Cell (Pilha de Combustível).

Fábrica de Hidrogénio em toda a linha

A Toyota está desenhar um futuro onde automóveis, veículos pesados, autocarros e até navios possam beneficiar desta tecnologia.

É por isso que a marca pretende acelerar a produção das pilhas de combustível com uma nova fábrica na Europa. Não só para responder à procura, mas também para baixar o preço desta solução.

Toyota MiraiUm Toyota Mirai com capacidade para percorrer 650 km com um só abastecimento custa 67 mil euros. Um valor que já pode ser considerado competitivo, mas que ainda não permite a sua massificação

A localização desta nova fábrica de hidrogénio ainda não foi anunciada pela Toyota Motor Europe. Mas Portugal poderia ser um dos países a ter em consideração.

Por um lado, Portugal é um dos países com maior incorporação de energias renováveis na produção energética e, por outro lado, é de Portugal que saem os autocarros a hidrogénio do consórcio CaetanoBus/Toyota.

O problema da rede de abastecimento

Neste particular, estima-se que o mercado europeu será o primeiro a tentar generalizar o recurso ao hidrogénio enquanto energia limpa. Recordamos que o Acordo Verde (Green Deal), aprovado pela Comissão Europeia, prevê um investimento de 45 mil milhões de euros na descarbonização da economia europeia até 2027.

Deste investimento, 284 milhões de euros estão alocados à construção de um corredor europeu de postos de abastecimento de hidrogénio.

De acordo com o plano TEN-T (trans-European Transport Network) este corredor deverá oferecer postos de abastecimento a cada 200 km de distância, numa primeira fase, estando previsto que esta continue a aumentar gradualmente até 2050.

O hidrogénio em Portugal

Anúncios à parte, o desenvolvimento da rede de abastecimento em Portugal está atrasada. O Roteiro e Plano de Ação para o Hidrogénio ainda não saiu do papel. No entanto os objetivos são ambiciosos.

Uma das metas traçadas prevê entre 10 a 25 estações de abastecimento de hidrogénio em Portugal até 2025. Nessa altura, o objetivo traçado pelo atual Governo para o nosso país é que existam em circulação entre 400 a 500 carros ligeiros a hidrogénio nas estradas e entre 50 a 100 veículos pesados.

O objetivo final é que em 2050 o parque circulante de veículos elétricos a hidrogénio em Portugal supere as 25 mil unidades e que haja mais de 15 mil veículos pesados com a mesma tecnologia.

Além da Toyota, há mais marcas a apostar nesta tecnologia, principalmente para soluções de transporte e logística. Nomeadamente a Renault que tem anunciado avultados investimentos na sua divisão de comerciais que continua o acelerado processo de eletrificação.

Ler artigo completo