Principais patologias associadas à surdez

5 meses atrás 165

Pessoas de todas as idades podem sofrer perda de audição e não apenas os idosos. A consciencialização sobre as diversas causas é fundamental para garantir que todos tenham a oportunidade de receber cuidados adequados e desfrutar de uma vida com plenitude auditiva.

Artigo da responsabilidade da Profª. Dra. Fernanda Gentil, audiologista, sócia profissional da Associação OUVIR;

e António Ricardo Miranda, presidente de Direção da Associação OUVIR – Associação Portuguesa de Portadores de Próteses e Implantes Auditivos

A audição desempenha um papel fundamental na nossa vida quotidiana. É através dela que nos conectamos com o mundo, permitindo-nos comunicar, desfrutar da música, apreciar sons da natureza e estar cientes dos sinais de perigo. Por tudo isto, a perda auditiva tem sempre um impacto negativo e significativo na qualidade de vida. Dificulta a comunicação, levando a problemas de interação social e a isolamento. Muitas vezes, as pessoas com perda auditiva precisam pedir para repetir o que foi dito, podendo mesmo perder informações importantes. Isto pode levar a situações de frustração, ansiedade e baixa autoestima.

Para além disso, a perda auditiva pode afetar a segurança e a independência das pessoas. A incapacidade de ouvir adequadamente alarmes, sirenes ou sinais de trânsito pode colocá-las em risco. Também pode dificultar o desempenho em ambientes de trabalho, onde a comunicação é essencial.

PERDA AUDITIVA AFETA TODAS AS IDADES

É importante destacar que a perda auditiva não afeta apenas os idosos. Pessoas de todas as idades podem enfrentar este desafio. Nestes casos, é essencial procurar ajuda profissional, o mais cedo possível.

A tecnologia de apoio às dificuldades auditivas, como aparelhos convencionais e implantes cocleares, pode melhorar a qualidade de vida destas pessoas, permitindo, na maior parte das situações, a recuperação da capacidade de ouvir e, consequentemente, o envolvimento pleno nas atividades diárias.

Portanto, é fundamental haver uma consciencialização sobre a importância da audição e incentivar a procura de soluções. Todos merecem desfrutar plenamente dos sons, conectando-se com o mundo ao seu redor.

PRINCIPAIS CAUSAS DE SURDEZ

Entre as principais causas de surdez, destacam-se:

SURDEZ GENÉTICA – Relacionada com mutações genéticas, este tipo de surdez é responsável por mais de metade de todos os casos. Pode ser considerada sindrómica, se estiver associada a uma síndrome (30%), ou não-sindrómica (70%).

PERFURAÇÃO TIMPÂNICA – A rutura da membrana timpânica pode ocorrer por várias razões, entre as quais: complicações resultantes de otites; não cicatrização da membrana, após colocação de tubo de ventilação; barotrauma por mergulho ou outro impacto forte no ouvido; inserção de objetos no canal auditivo externo ou outras lesões traumáticas da membrana; traumatismo craniano.

OTITE – É a inflamação ou infeção do ouvido. Dependendo da sua localização, pode ser externa (afeta o canal auditivo externo), sendo, normalmente, causada por fungos e bactérias; média (é a mais frequente e ocorre no ouvido médio); interna (afeta o ouvido interno), também denominada labirintite. Esta é considerada a mais grave, pois atinge o labirinto e a cóclea.

OTOSCLEROSE – Crescimento anormal do tecido ósseo no ouvido médio, em particular no estribo, rigidificando toda a cadeia ossicular e impedindo que a transmissão do som se propague normalmente até ao ouvido interno.

DOENÇA DE MÉNIÈRE – Também chamada hidropisia endolabiríntica, é uma patologia do ouvido interno que afeta a audição e o equilíbrio. Caracteriza-se por vertigem, zumbido e perda auditiva flutuante.

PRESBIACUSIA – É o tipo mais comum de perda auditiva neurossensorial, causada pelo envelhecimento natural do sistema auditivo.

TRAUMATISMO ACÚSTICO – Perda auditiva induzida por prolongada exposição a ruído.

OTOTOXICIDADE – Refere-se ao dano provocado no ouvido interno e sistema auditivo nervoso central, devido a medicamentos ou a exposição a produtos químicos.

SURDEZ SÚBITA – Perda repentina da audição, normalmente em apenas um dos ouvidos. Pode ser de causa desconhecida, estando muitas vezes associada a má vascularização do ouvido interno ou a infeções virais ou bacterianas.

NEURINOMA DO ACÚSTICO – Tumor benigno do nervo auditivo, geralmente de crescimento lento.

É importante consultar um especialista para obter informações mais detalhadas e precisas sobre cada uma destas patologias.

CADA PATOLOGIA COM AS SUAS NUANCES

As variadas condições que podem levar à perda auditiva destacam a complexidade e a diversidade dos desafios enfrentados por aqueles que lidam com problemas de audição. Desde causas genéticas até lesões traumáticas e distúrbios do sistema auditivo, cada patologia possui suas próprias “nuances” e impactos únicos na vida das pessoas.

A busca por conhecimento detalhado, acompanhamento médico e o acesso a tecnologias de apoio são passos essenciais para enfrentar e superar os obstáculos impostos por essas condições.

A consciencialização sobre essas diversas patologias é fundamental para garantir que todos tenham a oportunidade de receber cuidados adequados e desfrutar de uma vida com plenitude auditiva.

INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE

Assim, é crucial reconhecer que a diversidade de patologias relacionadas à surdez destaca a importância da pesquisa contínua e do avanço da Medicina para compreender e tratar essas condições. A inclusão e a acessibilidade são pilares fundamentais para garantir que as pessoas afetadas por essas condições tenham igualdade de oportunidades na sociedade. Educação, consciencialização e políticas que promovam a inclusão são essenciais para que todos possam superar os desafios associados à perda auditiva e viver plenamente, independentemente da condição auditiva que possuam.

Leia mais na edição de Janeiro 2024 (nº 345), já nas bancas

Ler artigo completo