Setembro de 2023 ou maio de 2024: afinal quando é que Rui Costa recebeu a auditoria forense?

3 semanas atrás 50

A auditoria forense a 51 transferências da SAD do Benfica, durante o «reinado» de Luís Filipe Vieira, é dos temas do momento e foi um dos assuntos mais quentes das Assembleias Gerais dos encarnados, no passado sábado. Ora, o documento não esteve em análise e debate na segunda AG, porque apenas foi divulgado na passada sexta-feira, sendo que tem a data de maio de 2024 e, o próprio Rui Costa, confirmou isso mesmo. É essa mesma data, «maio de 2024», que levanta dúvidas.

Recuando até setembro de 2023. Ainda banhado pelo título da temporada anterior, o Benfica divulgava, no dia 6 de setembro, o Relatório e Contas referente à temporada 22/23. Nesse documento, a SAD liderada por Rui Costa anunciava um lucro de 4,2 milhões, uma subida de 21,9 por cento nos rendimentos globais, entre outras coisas. Mas, num pequeno parágrafo, perdido no meio do documento de 178 páginas, vinha uma menção à auditoria forense. Esse pequeno parágrafo mereceu mesmo uma notícia no zerozero.

«Em julho de 2021, a Benfica SAD tomou conhecimento da existência de um processo designado “Cartão Vermelho”, no âmbito do qual são investigados atos que, alegadamente, Luís Filipe Ferreira Vieira terá cometido enquanto foi Presidente do Conselho de Administração da Sociedade, embora não nessa qualidade. A Benfica SAD não assume a qualidade de visada ou arguida no referido processo. Neste contexto, a Sociedade solicitou a realização de uma extensa auditoria forense para analisar se alguma conduta foi lesiva dos seus interesses, tendo em vista, dentro do quadro legal aplicável, apurar todas as responsabilidades e reagir em conformidade. Esta auditoria forense está presentemente concluída e está a ser objeto da apreciação pela Administração e Advogados da Benfica SAD.», pode ler-se no documento.

É aqui que surgem as dúvidas. Ainda por cima, alguns meses antes da saída deste Relatório e Contas, o próprio presidente do Benfica, Rui Costa, dizia que a auditoria tinha «atrasado», mas que contava divulgar a investigação «em setembro» (de 2023).

Ora, a pergunta tem mesmo de ser feita: afinal quando é que Rui Costa e administração da SAD do Benfica tiveram acesso à auditoria forense? Em setembro de 2023, como os próprios disseram? Ou em maio de 2024, como os próprios disseram?

Porque, se o que está escrito no Relatório e Contas de setembro de 2023 for correto, isso poderá significar que algum tipo de auditoria forense esteve nas mãos da SAD, durante cerca de nove meses, antes de ser divulgada, na véspera de uma Assembleia Geral.

O zerozero contactou o Benfica e a empresa que fez a auditoria, a consultora EY, mas, à data da publicação desta notícia, não obteve resposta.

Ler artigo completo